Forças militares extorquem cidadãos nas escoltas militares em zonas de guerra

DSC_0225-300x200 Forças militares extorquem cidadãos nas escoltas militares em zonas de guerraAlguns elementos das forças militares de defesa e Segurança quer da Renamo foram vistos pela população a extorquir cidadãos que fazem o troço Caia-Nhamapandza, no centro do País, região assolada pelo clima de tensão política militar.

Agentes desonestos exigem valores monetários aos transportadores e cidadãos singulares que se fazem transportar em viaturas particulares com destino à Beira, Maputo e outros pontos de Moçambique.

A nossa reportagem para além de relatos assistiu de perto cenários tristes de extorsão protagonizados por agentes das Forças de Defesa e Segurança que ofereciam protecção em coluna militar aos cidadãos que faziam aquele troço rodoviário.

Relatos populares indicam também que homens armados da Renamo foram igualmente vistos a pedir dinheiro em detrimento de não atacar aos cidadãos que passavam pela mesma via em dias e locais diferentes.

São 10 horas, a temperatura amena de Caia remete a uma análise profunda sobre as reais motivações desta guerra não declarada, o Bhissimilai alberga mais de duas centenas de passageiros das frotas: maningue naice, Etrago e outras, aqui fala-se um pouco de tudo, ouvem-se murmuros carregados de frustração. “A guerra voltou …este País nunca terá paz com essa gente a controlar isto”- senhora de idade, suspira enquanto contempla a imensa fila de camiões de alta tonelagem carregando diversos produtos de diversas categorias desde: alimentar, construção e entre outros.

Por volta das 12 horas uma nuvem escura paira sobre caia e com ela vem uma longa fila de veículos de todo o tipo de dimensão “a coluna chegou!”- ouve-se ao fundo, é a tão aguardada força militar, armada até aos dentes, trouxe consigo mais de uma centena de carros da zona de Nhamapandza e que seguirão viagem a zona da Zambézia e a região norte do País.

Leia:  Anadarko e parceiros apoiam ao INGC com 200 mil dólares

As 13 horas sai-se de Caia em direcção a Inchope é momento de seguir viagem, todos os carros perfilados as forças militares governamentais dão instruções numa encruzilhada manhosa, motoristas, passageiros, veículos de pequena e alta cilindragem, ninguém escapa, uma campanha de extorsão camuflada em pedidos é encetada, a coluna não arranca antes que todos os militares tenham algum no bolso. “É Moçambique isto” comenta-se em voz baixa.

 

LIVRE & INDEPENDENTE

© Jornal Txopela, 2017
Todos os direitos reservados
Fundado em 2014

REGISTO Nº 01/GABINFO-DEC/2016. © AFRO MEDIA COMPANY
Ir para a barra de ferramentas