Membro da Renamo assassinado a tiro em Quelimane

DSC_0186-300x200 Membro da Renamo assassinado a tiro em QuelimaneUm membro da Renamo foi morto a tiro na noite da última quinta-feira, 31 de Março na varanda da sua residência na presença dos seus dois filhos e esposa, no Bairro Novo, arredores da cidade de Quelimane. O episodio deu-se por volta das 19 horas quando um desconhecido escalou a residência do finado exigindo que os filhos e a mulher fossem para dentro da casa.

A esposa teria perguntado insistidamente porque razão tinha de entrar no interior da casa dela, porque um desconhecido lhe obrigava a se manter dentro e de que assunto pretendia falar com o esposo. O membro da Renamo questionava sobre que assunto iria tratar com o desconhecido naquela hora da noite. Sem muito espaço de tempo, a esposa do membro da perdiz conduziu aos filhos para que fossem para o interior da sala e de seguida o membro da Renamo teria explicado ao desconhecido que a senhora era sua esposa e que não tinha segredos com ela.

Depois de várias tentativas o assasino exibiu uma arma de fogo do tipo pistola e atirou sobre a cabeça do membro da Renamo. Depois do assassinato a sangue frio, o desconhecido foi visto a sair lentamente e sem disfarce em direcção a estrada principal.

Na altura do incidente, a vizinhança suspeitou tratar-se de assalto a mão armada e ficou horrorizada e em estado de choque se no entanto poder agir para repreender ou identificar o estranho assassino. Fontes contactadas no local apontam para esquadrões de morte que eventualmente tenham sido criados para abater opositores, intimidar e acabar com o partido de Afonso Dhlakama, assunto levantado na edição nº 1157 de 11 de Marco de 2016 do jornal SAVANA e @Verdade Online.

Uma das razoes desta suposta caca aos homens da Renamo teria haver com baixas registadas nas forcas governamentais em conflito nas diferentes regiões do Pais. Gloria Fernando, esposa do malogrado conta que parecia que o assassino tinha objectivos claros, “chegar e matar.”

Leia:  Rácio população-polícia trava esforços de combate ao crime em Cuamba

Ate aonde ela sabia o marido não tinha dividas ou problemas graves que o levasse a ser assassinado. Recorda que no passado, o falecido já foi guerrilheiro da Renamo e não descarta a possibilidade de que o baleamento mortal do marido esteja relacionado com o facto.

Redacção


Subscreva o semanario Txopela e receba em PDF no seu Email ou em versao fisica | 20 meticais cada exemplar
LIVRE & INDEPENDENTE

© Jornal Txopela, 2017
Todos os direitos reservados
Fundado em 2014

REGISTO Nº 01/GABINFO-DEC/2016. © AFRO MEDIA COMPANY
Ir para a barra de ferramentas