AGRICULTURA: NUNCA ESQUECE-LA -Por Rogerio Marques Junior

P_20140720_133644-238x300 AGRICULTURA: NUNCA ESQUECE-LA -Por Rogerio Marques JuniorO crescimento da economia moçambicana em 7 por cento no ano corrente previstos pelo Governo caiu por terra. Neste ano, de acordo com a ECONOMIST INTELLIGENCE UNIT a nossa economia poderá crescer apenas 4,8 por cento, o mais baixo crescimento dos últimos 15 anos.

A mesma fonte argumenta que a taxa de crescimento da economia moçambicana está a baixar desde o ano passado e garante que esta tendência irá manter-se ao longo dos próximos anos, sobretudo devido a problemas no sector da agricultura.

Onde é que está o debate sobre a agricultura? Esquecemos o seu contributo para a nossa economia? Ou as descobertas dos novos recursos minerais tornaram-nos cegos relativamente às questões agrícolas? Por favor, lembremo-nos que, quase metade do território moçambicano (45%) tem potencial para a prática da agricultura, todavia 80% da agricultura praticada é de subsistência.

É certo de que os recursos minerais recém-descobertos vão desempenhar um papel importantíssimo para o crescimento da nossa economia. Mas é preciso acautelarmos as paixões para não nos cegarmos e deixarmos para o segundo plano outros sectores importantes. Pelo menos, neste momento em que moçambique só poderá exportar, por exemplo, o gás natural a partir de 2021 convém não relegar ao esquecimento a agricultura, sector em que maior parte dos moçambicanos (cerca de 68%) trabalha.

Sabemos que os trabalhadores deste sector é que inegavelmente podem garantir a segurança alimentar e o aumento da exportação e a sua consequente redução das importações. Mas estes continuam a ser os que auferem os piores ordenados no nosso país e, de forma recorrente, recebem os menores “aumentos”. No ano passado tiveram um “aumento” de 5,74% e este ano só terão 3,61%.

Se o país quiser crescer economicamente e garantir bem-estar para todos os moçambicanos deve investir na agricultura, porque esta tem o potencial para impulsionar o desenvolvimento de outros sectores. Até porque, a economista Luísa Diogo diz que investir na agricultura significa desenvolver melhores sistemas de água, da rede de estradas, de comunicações, educação, saúde e das próprias políticas agrárias que lhe são aplicadas.

Leia:  Confirmadas as previsões, o que se pode esperar da democracia angolana? — Jessemusse Cacinda

É possível que moçambique seja um actor importante no sector agrário local, regional e internacional. É possível não depender dos outros para termos tomate, cebola, mandioca, etc. É possível garantirmos a segurança alimentar para os nossos irmãos. É possível exportarmos mais e importarmos menos. Sou optimista, mas é preciso haver do vosso lado um compromisso sério e sair desta zona de conforto que nos afunda cada vez mais.

LIVRE & INDEPENDENTE

© Jornal Txopela, 2017
Todos os direitos reservados
Fundado em 2014

REGISTO Nº 01/GABINFO-DEC/2016. © AFRO MEDIA COMPANY
Ir para a barra de ferramentas