Liberdade de Imprensa ainda deficitária em Moçambique

 

Jornalistas-04x13x625x230-300x110 Liberdade de Imprensa ainda deficitária em MoçambiqueJornalistas moçambicanos consideram no cômputo geral que a liberdade de Imprensa no Pais ainda é deficitária devido a vários factores como secretismo, protecção de informações que deveriam ser de domínio público, dificuldades de acesso as fontes de informação entre outros.

O jornalista do SAVANA Fernando Gonçalves disse que a censura e autocensura nas redacções são desafios actuais que devem ser ultrapassados por forma a que os escribas moçambicanos tinham liberdade e independência suficiente na recolha, processamento e publicação de artigos noticiosos.

António Zefanias do Diário da Zambézia afirmou que a maior dificuldade reside no acesso as fontes de informação. Há informações ocultas e não autorizadas para serem publicadas mas que interessam o cidadão.

Os jornalistas que falavam a propósito do 3 de Maio dia Mundial da liberdade de Imprensa criticaram o facto de não existir limites claros sobre o que é segredo do Estado, para que os profissionais da comunicação social possam guiar-se no exercício das suas funções. A Lei de Direito a informação, 34/2014 de 31 de Dezembro traz diversas armadilhas para os jornalistas.

Vários artigos não são claros sobre o que não deve ser publicado, informações que podem comprometer a segurança do estado, da conta bancaria de um cliente, por em causa a honra e reputação internacional, entre outras.

No lugar de a Lei facilitar o exercício da liberdade de Imprensa no País, pelo contrário, esta veio embaraçar a vida dos jornalistas.

˵Hoje é difícil saber se produziste um artigo dentro dos parâmetros exigidos pela Lei do Direito àInformação, que informação compromete a segurança e relacionamento interno ou externo do Estado˶- referiu Rizique Zacarias do Semanário Txopela.

De modo geral a liberdade de Impressa no Pais ainda não satisfaz os profissionais da Comunicação Social.

Leia:  Automobilista viola sinalização de obras em andamento e acidenta

A título ilustrativo, os Jornalistas ouvidos pela nossa reportagem apontam caos de assassinato de jornalistas nacionais, desrespeito, flagrantes violações da lei de Imprensa e de Direito a informação por quem deveria ajudar o colocar em prática.

Ainda prevalece a cultura de sonegação, inacessibilidade das fontes de informação e outras barreiras que dificultam o exercício pleno da Liberdade de Imprensa em Moçambique.

LIVRE & INDEPENDENTE

© Jornal Txopela, 2017
Todos os direitos reservados
Fundado em 2014

REGISTO Nº 01/GABINFO-DEC/2016. © AFRO MEDIA COMPANY
Ir para a barra de ferramentas