Golpe de Estado Falha na Turquia

Golpe-Turquia-300x186 Golpe de Estado Falha na TurquiaA Turquia, um país que faz parte da NATO, viveu, na madrugada de sexta-feira para hoje, horas de violência no decurso de uma tentativa de golpe de estado desencadeada no seio das Forças Armadas. O cenário, às primeiras horas da manha de hoje, apontava para o insucesso dos golpistas, mas com um rasto de mais de cem mortos e mil feridos. O Presidente Recep Tayyip Erdogan já veio a público dizer que a cadeira do poder continua sua.

Foi no aeroporto de Istambul que Recep Erdogan se dirigiu aos turcos para lhes dizer que continua a chefiar o governo, depois de a unidade militar de onde partiu a intentona se ter rendido, afirmando ainda o Chefe de Estado turco que todo o executivo está em funções. “Traição””, foi a palavra escolhida por Erdogan para definir o que se passou durante esta madrugada, afirmando que os golpistas apenas lhe deram uma oportunidade, que diz ter sido “obra de Deus”, para limpar o exército turco. O Presidente turco culpou pelo golpe de estado, que definiu de “traição”, os apoiantes do seu arqui-inimigo, Fethullah Gülen, um imã exilado há anos nos Estados Unidos. O movimento que apoia Gülen (Hizmet) e o próprio Fethullah Gülen já condenaram o golpe em dois comunicados nas últimas horas.

Tendo sido alvo de múltiplos golpes de estado militares ao longo de cinco décadas é especialmente insultuoso ser acusado de estar ligado a esta intentona. Nego categoricamente estas acusações”, disse Gülen, no comunicado mais recente. Apesar de tudo indicar que o golpe falhou, os sinais de violência em Istambul são muitos, depois de terem ocorrido intensas trocas de tiros e até bombardeamentos com recurso a tanques e a aviação de guerra, nomeadamente no Parlamento turco, como mostram as imagens das televisões internacionais.

Leia:  Américo da Costa substitui Manuel Tocova em Nampula

No último balanço feito pela imprensa turca, no rescaldo desta tentativa de golpe ficam mais de cem mortos e um número superior a 1.100 feridos, muitos dos quais polícias, sendo que a contatem de vítimas continua a ser actualizada pelo media internacionais. Há ainda centenas de detidos, a maior parte militares conotados com a tentativa de golpe cujo insucesso se deveu, em grande medida, aos milhares de turcos que saíram à rua para enfrentar os tanques e os militares que, entre outros locais, ocuparam estações de televisão e de rádio.

LIVRE & INDEPENDENTE

© Jornal Txopela, 2017
Todos os direitos reservados
Fundado em 2014

REGISTO Nº 01/GABINFO-DEC/2016. © AFRO MEDIA COMPANY
Ir para a barra de ferramentas