Sérgio Raimundo é o vencedor do concurso literário fim do caminho

Fim-de-Caminho-212x300 Sérgio Raimundo é o vencedor do concurso literário fim do caminhoDanito Avelino, Japone Arijuane, Oscar Manuel Fanheiro, José Carquete, Isaac Zavala, Silverio Uaquessa, Rui Catoma e Hélder Mangumo são os nomeados para Antologia de contos criminais a ser editada pelo Fim do Caminho em 2017. O facto deveu-se a sua participação no concurso literário realizado este ano em homenagem a Henning Mankel. Estes autores juntam-se aos primeiros três vencedores anteriormente anunciados: Sérgio Raimundo, Ilidio José e Leonardo Unguana. Informou em comunicado de imprensa a organização do festival Fim do Caminho.

O Festival Fim do Caminho é um evento de promoção de cultura, especialmente filmes nacionais e internacionais que versam sobre temáticas educativas. Teve o seu início em 2014 e é realizado no mês de Agosto de cada ano.

Para além das projecções de filmes, o festival envolve um fórum literário com jovens escritores e estudantes de diversos níveis de ensino e uma mesa redonda que discute cinema e literatura.

Neste ano, ao festival foi acrescido um concurso de contos que se propões a contar histórias cuja moral seja o combate ao crime e que tinha como objectivos: Criar ou consolidar hábitos de leitura e escrita na juventude moçambicana; estimular o espírito da iniciativa livre na juventude, incentivar a escrita criativa em volta de temas sobre crime ligadas ao contexto moçambicano.

O tema foi uma homenagem a Henning Mankell, o escritor de contos criminais sueco que morreu em 2015. Mankell viveu em Maputo por muitos anos e foi diretor do Teatro Avenida. Ele é mais conhecido por sua série Wallander, embora alguns de seus outros livros também foram criados em Moçambique.

O júri do Concurso Literário Fim do Caminho 2016, composto pelo escritor e jornalista Eduardo Quive e pelo poeta Mbate Pedro, leu os sessenta contos submetidos ao concurso, oriundos de todas as províncias do país e depois de realizar a avaliação entre os dias 15 de Maio e 15 de Junho de 2016, concluiu que o texto vencedor é intitulado: “Quando o piano de Barnardo Mavique soprou um la de luto”, da autoria de Sérgio Raimundo.

Leia:  Governo avança na fusão da MCEL e TDM

O júri também classificou os textos intitulados: “Os movimentos insondáveis de uma madrugada” da autoria de Ilídio Roque José e “Direitos Humanos”, de Leonardo Jossai Unguana, como o segundo e terceiro classificado respectivamente.

Os vencedores receberão os seguintes prémios:

Primeiro Prémio: 12.000 mt (Doze mil meticais), seis romances africanos clássicos, publicação na próxima antologia crime a ser editada em inícios de 2017 pelo Fim do Caminho.

Segundo Prémio: 7.000 mt (Sete mil meticais), três romances africanos clássicos, publicação na próxima antologia crime a ser editada em inícios de 2017 pelo Fim do Caminho.

Terceiro Prémio: 4000 mt (Quatro mil meticais), dos romances africanos clássicos, publicação na próxima antologia crime a ser editada em inícios de 2017 pelo Fim do Caminho.

Entretanto, também foram classificados outros textos, cujos vencedores receberão uma distinção de 1.000 mt (Mil meticais) e os textos, depois de reescritos farão parte da Antologia de contos criminais moçambicanos a ser publicado em 2017 pelo Fim do Caminho.

Neste ano, o festival Fim do Caminho será realizado de 12 a 22 de Agosto com projecções de filme, workshops, fórum literário, noite de letras, oficina de literatura e cursos com jovens das Escolas secundárias da Ilha de Moçambique e Mossuril e da Universidade Pedagógica – Delegação de Nampula.

 

LIVRE & INDEPENDENTE

© Jornal Txopela, 2017
Todos os direitos reservados
Fundado em 2014

REGISTO Nº 01/GABINFO-DEC/2016. © AFRO MEDIA COMPANY
Ir para a barra de ferramentas