…Afinal, they’re “Killing for the Money”(?)

IMG_2377-300x225 …Afinal, they’re “Killing for the Money”(?)Nos dias que correm, matar por dinheiro passou a não constituir novidade por mais que seja uma clara violação dos Direitos Humanos. Esse costume não é de hoje, já vem desde os tempos de Judas, era de Jesus Cristo. Nessa senda, por tratar-se de uma realidade humanisticamente cruel, a banda Destiny Was Drawn (DWD), vai, no dia 27 de Agosto, nos palcos do Big Brother, a partir das 18h00 proceder ao lançamento do CD intitulado “Killing for the Money”, frase em inglês que se traduzido em português significa “Matar por dinheiro”.

“Killing for the Money” é uma proposta musical que vem a ser lançada num momento certo visto que o nosso próprio país vive uma instabilidade político-militar que já ceifou vidas, deixou viúvos, órfãos, deslocados e amputados. Esta narrativa cantada carrega consigo os reflexos melodiados de uma sociedade em que, além da arrogância, a inveja e ganancia fazem parte do quotidiano das pessoas.

A obra discográfica conta com nove faixas e, poderá ser adquirida a partir da data do seu lançamento oficial. A questão da economia, as injustiças, desigualdades de direitos, o racismo a questão dos acessos ao emprego em países do 3º mundo e as guerras deram a inspiração para o surgimento do “Killing for the Money”.

O tema que dá título ao Álbum foi o primeiro a ser apresentado ao público que recebeu bem a música, pelas suas características directas, com uma mensagem de intervenção social e política que de certa forma descreve a realidade do país e de várias partes do mundo actual e das diversas épocas da história da humanidade.

Afinal, dando uma vista por todos factos que envolveram guerras e matanças, tudo estava relacionado com o dinheiro. Tudo está relacionado com as riquezas de um determinado país. Até a África foi colonizada por dinheiro. O problema é que onde há uma acção deve haver sempre uma reacção e onde essas duas particularidades misturam-se, o que não faltam são vítimas.

Leia:  Nyusi apela inclusão no Hospital Central de Quelimane

O que é DWD?

DWD (Destiny was Drawn) é uma banda Moçambicana de Rock formada por Tiddy Eplyn em meados de 2012 em Maputo, que teve como primeira formação, Tiddy Eplyn como vocalista,- Manuel Brazuna na guitarra, Andre Revez na bateria e Rick Anthony no baixo. Actualmente, Tiddy Eplyn como vocalista, Izzy Vercetty na guitarra, Riaaz Issufo no baixo e Nuno Blink na bateria.

O agrupamento dispensa qualquer tipo de apresentação e já abasteceu 15 faixas ao mercado musical. No entanto, outras seis filarmónicas são apresentadas apenas em concertos e ainda não foram gravadas. No entanto a banda explora outros assuntos interessantes, mais divertidos, que apresentará ao mercado brevemente.

A média e a falsa liberdade de expressão

Importa referir que “Killing for the Money”, é a primeira e até então única (até finais de Agosto) música com vídeo clip da banda! O vídeo sofreu uma indiferença por alguns canais de televisão no nosso país, provavelmente pela mensagem.

Depois que este vídeo foi banido por um canal de televisão que não importa referir, “nos preocupamos muito em promover o vídeo nos nossos canais, temos o vídeo no nosso YouTube disponível para quem quiser conferir o vídeo” disse Tiddy.

Porém o responsável da banda acredita que tempos melhores ainda estão por vir: “Algo que acreditamos que não intimidará os canais de Televisão por passarem, Infelizmente a liberdade de expressão em Moçambique ainda é precoce, algo que o tempo melhorará. Outros temas que sentimos que o público recebe bem são Suitcase on the road, hey Cop! Ronny Kansado, trabalho formal, entre outros”, sustentou Tiddy Epplyn Em Conversa Com Arte.

Ainda existem “bom samaritano”

Leia:  Acidentes de viação continuam a enlutar

No entanto há programas nacionais de música Rock que passam constantemente o vídeo “Killing for the Money” como uma forma de reivindicação. A média as vezes gosta que o artista o conquiste até ao ponto que ela já não sai do pé do artista e o jogo vira, a DWD tem estratégias boas para esse jogo.

“O Rock e o consumo”

São estratégias de negócio, a música tem inevitavelmente uma grande percentagem de estratégia de negócios, a música é um grande negócio, movimenta muito dinheiro e ajuda a economia de um país quando bem aproveitada e gerida com sabedoria.

Para que haja consumo por parte do público mercado o Rock tem que estar disponível, acessível, é um conjunto de elementos que significa trabalho para que tal se torne uma realidade e o estilo Rock possa então fazer parte desse cardápio auditivo, não é impossível. E as coisas já estão a acontecer

Descobrem algo novo a que se podem apaixonar sem nunca antes terem-se imaginado num show de Rock.

“Grandes palcos ainda nos aguardam”

“Aproveitar para dizer que estaremos no festival Maputo Hard Rock festival, a dividir o palco com grandes artistas como a banda Kakana, Rui Michel, entre outros fazedores de Rock nacionais e uma internacional, o que será um gozo para a DWD. E estaremos em Setembro, 17/18 em Angola no Festival internacional de Rock (ORLEI) para divulgar o nosso trabalho além-fronteiras.

LIVRE & INDEPENDENTE

© Jornal Txopela, 2017
Todos os direitos reservados
Fundado em 2014

REGISTO Nº 01/GABINFO-DEC/2016. © AFRO MEDIA COMPANY
Ir para a barra de ferramentas