“Os sindicatos não são inimigos!”

Francisco Mazoio defende a necessidade da efectivação dos direitos sindicais em Moçambique.

foto-mazoio-in-o-JORNAL-O-DOMINGO-220x300 “Os sindicatos não são inimigos!” De acordo com o secretário para área de Urbanização e Finanças da Organização dos Trabalhadores de Moçambique (OTM), o número de empresas sem comités sindicais esta a reduzir. Apesar de alguns empresários verem os sindicatos como inimigos, desvalorizando a importância da actividade sindical, principalmente em pequenas e medias empresas.

Segundo Mazoio, o quadragésimo aniversário da Organização, celebrado nesta quinta feira, 13 de Outubro, significa  luta intensa pelo exercício da negociação colectiva, do exercício do diálogo social e pela promoção e defesa dos interesses dos trabalhadores.

Refira-se que a OTM é uma organização que conta com dezasseis sindicatos filiados, incluindo uma associação do sector informal e 135 mil membros num universo de cerca de 240 mil trabalhadores existentes no país.

Tendo em conta a carístia de vida e os conflitos laborais que tem vindo a subir de forma galopante no país, Mazoio salientou que, constitui um desafio do movimento sindical, negociar níveis salariais que possam concorrer para melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores. “ Para que isso se efective, é necessário uma boa capacidade organizativa, capacidade de influência, conhecimento e integração do sector empresarial para que os interesses dos trabalhadores sejam respeitados”.

A nossa fonte sublinhou ainda que outro desafio da OTM consiste em melhorar a capacidade financeira da organização, ter a capacidades de desenvolver estudos e cumprir com suas obrigações administrativas.

Contudo, o nosso entrevistado, destaca a necessidade de os sindicatos nacionais aprofundarem a sua acção, divulgando a legislação laboral que estabelece o regime do horário de trabalho, denunciado actos que violam a mesma legislação e criando um ambiente de negociação colectiva nas empresas que estabeleça de forma clara a remuneração das horas extraordinárias quando elas terem lugar. Alcides Madeira 

LIVRE & INDEPENDENTE

© Jornal Txopela, 2017
Todos os direitos reservados
Fundado em 2014

REGISTO Nº 01/GABINFO-DEC/2016. © AFRO MEDIA COMPANY
Ir para a barra de ferramentas