Quelimane: Cofres do município “vazios”

Quelimane_Conselho_Municipal_9513364135-300x225 Quelimane: Cofres do município “vazios”O nível de arrecadação de receitas para os cofres do Conselho Municipal de Quelimane, regista nos últimos dias um decréscimo assinalável, segundo justifica a edilidade, o facto tem conexão com a actual situação económica que o pais atravessa e associado ao conflito político-militar.

O Director do Departamento dos Mercados, Albano António, explica que grosso numero de comerciantes estrangeiros e nacionais, que exerciam as suas actividades na urbe foram obrigados a fechar as portas devido a falta de poder de compra dos seus produtos por parte dos clientes.

“No sentido de evitar pagar impostos, sem que hajam lucros, os mesmos vêm a necessidade de fechar as suas lojas. Segundo eles, isso se deve a elevada subida dos preços na compra de mercadorias e na demora da chegada da mesma, por razões do conflito político-militar que o país vive actualmente.” – explica.

O município de Quelimane segundo o mapa de receitas a que o Jornal Txopela tem acesso, em media recolhia cerca de quinhentos mil meticais semanalmente, actualmente este numero desceu para duzentos mil meticais.

“A sociedade não tem poder de compra, porque se formos a comparar o salário mínimo e o que o mercado oferece actualmente, não é compatível com o custo de vida, e se esta situação prevalecer, fará com que a colheita das receitas não seja satisfatória”, assegura, Albano António.

A cidade de Quelimane regista um défice de produtos , principalmente hortícolas e outros provenientes da região Norte e Sul do país e carência do pescado. É a partir deste pequenos negociantes que o Município de Quelimane, colhia maior parte das suas receitas diárias nos mercados.

” O dinheiro que o governo usa para desenvolver um país, província ou um Município é proveniente das contribuições dos impostos dos cidadãos. Razão pela qual estamos engajados nesta luta de arrecadação de receitas sustentáveis.” – Concluiu Albino António.

Leia:  Exames no ensino secundário: Tolerância zero para os fraudulentos!
LIVRE & INDEPENDENTE

© Jornal Txopela, 2017
Todos os direitos reservados
Fundado em 2014

REGISTO Nº 01/GABINFO-DEC/2016. © AFRO MEDIA COMPANY
Ir para a barra de ferramentas