Desertor das FADM, criminoso a mão-armada

Desertor-300x200 Desertor das FADM, criminoso a mão-armadaQuelimane (Txopela) – Um cadastrado perigoso, por sinal desertor das Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM), afecto ao Comando Militar de Cabo-Delegado, está a contas com a Polícia da República de Moçambique na Zambézia, desde o último final de semana.

Trata-se de José Ernesto Branquinho, agora radicado na Cidade da Beira. De acordo com informações prestadas pelo porta-voz da PRM na Zambézia, Miguel Caetano, foi possível neutralizar o referido homem, após uma informação passada pelo Comando Provincial de Maputo, que dava conta da presença deste indivíduo na Cidade de Quelimane e colocadas as linhas operativas, caiu nas malhas da polícia.

Segundo a mesma fonte, o indivíduo fazia parte de uma quadrilha que actua na Cidade de Maputo e perpetravam crimes de furto de viaturas com recurso a arma de fogo. Questionado se o tal indivíduo teria engendrado uma acção criminosa em Quelimane, o porta-voz da PRM, assegurou que não mas a quando da sua neutralização em circunstâncias não esclarecidas, foi encontrado um par de algemas na sua viatura, Toyota Allex.

Acusado acusa a polícia

Entretanto, o Jornal Txopela ouviu a reacção do indiciado agora a ver o sol aos quadradinhos na 2ª Esquadra da Cidade de Quelimane, que nega todas acusações que pesam sobre a sua pessoa e aliás, acusa a polícia de o ter acusado falsamente.

De acordo com suas declarações, ele não é desertor nenhum e neste momento está em exercício na subunidade Militar de Maputo, Departamento de Logística e não Cabo Delgado como avança a polícia, todavia este disse não saber do crime que é acusado e sobre a suposta neutralização que a polícia refere não é necessariamente neutralização, porque segundo explicou, ele foi à esquadra de espontânea vontade estacionar sua viatura e na sequência foi detido.

Leia:  Recuperados computadores roubados da Visão Mundial

Sobre o alegado abandono da sua unidade? “Isso é mentira, eu não abandonei unidade nenhuma”, – disse.

Sobre as algemas encontradas na sua bolsa no interior da viatura, ele disse lhe pertencem mas seriam solicitadas pelos seus colegas para fins que não mencionou. (Redacção) 

LIVRE & INDEPENDENTE

© Jornal Txopela, 2017
Todos os direitos reservados
Fundado em 2014

REGISTO Nº 01/GABINFO-DEC/2016. © AFRO MEDIA COMPANY
Ir para a barra de ferramentas