Motorização da pesca impacta na população

Pesca-Motorizada-300x132 Motorização da pesca impacta na populaçãoQuelimane (Txopela) – O sector do Mar, Águas Interiores e Pescas ao nível da província da Zambézia, diz estar a registar avanços significativos no que diz respeito ao aumento de volume de captura de pescado associado a empregabilidade das várias famílias por causa da motorização da pesca.

A satisfação foi manifestada esta quarta-feira por Arcílio Madede, director da área que superintende questões de pesca nestas parcela do país, em entrevista ao Jornal Txopela.

Só para avivar as mentes dos nossos leitores, Zambézia beneficiou-se de 88 motores, no âmbito da iniciativa do Ministério, para respeitar a produção e produtividade no sector pesqueiro. Dos 88 motores 34 já foram dados ao mutuários, sendo 25 no distrito de Chinde, 5 em Quelimane, 4 Pebane e está no processo administrativo outros 8 para o distrito de Inhassunge.

Madede explica que para a concessão dos motores é feita uma avaliação minuciosa da idoneidade das pessoas, para que não se corra o risco de conceder a pessoas que nem se quer são pescadoras e consequentemente não se aumentará a produção e produtividade, principal objecto da concessão dos motores e também tendo em conta que não se trata de oferta mas sim empréstimo, portanto, reembolsável.

O distrito de Chinde, nesse caso o que teve maior número de concessão, tem já um incremento considerável de produção em cerca de 5 mil toneladas, em relação a 3 mil do planificado, portanto, feitas as contas Chinde conta já com um volume de produção de 8 mil toneladas de pescado diverso desde a concessão dos motores no princípio deste ano, mercê da motorização da pesca.

Ainda mercê da motorização da pesca, cerca de 102 novos empregos foram criados o que contribui para redução dos níveis de desemprego, disse a nossa fonte.

Leia:  QUELIMANE: Justiça pelas próprias mãos ganha terreno

Na ocasião, Arcílio Madede disse que um dos ganhos que a motorização da pesca está a trazer é a questão da diversificação do pescado, pois os pescadores já conseguem ir ao mais fundo do mar, portanto, para além das 3 milhas da costa para capturar espécies de alto valor comercial que outrora com botes a remo não era possível capturar.

 Sobre a amortização

O sector diz estar igualmente satisfeito, porque já há retorno do capital na ordem dos 300 mil meticais para todos os mutuários e na visão do dirigente é bastante significativo e encorajador.

Na sequência, a fonte disse que a devolução dos valores na linha de crédito que sua instituição oferece a devolução é extremamente obrigatória e inclusive se verificar-se alguma fragilidade por parte do mutuário medidas administrativas serão tomadas imediatamente e nesse caso a primeira é retirado do motor da posse do mutuário. (Jacinto Castiano)

LIVRE & INDEPENDENTE

© Jornal Txopela, 2017
Todos os direitos reservados
Fundado em 2014

REGISTO Nº 01/GABINFO-DEC/2016. © AFRO MEDIA COMPANY
Ir para a barra de ferramentas