Para quê servem eleições internas na UP?

Up-Mocambique-300x119 Para quê servem eleições internas na UP?Quelimane (Txopela) – O Presidente da República, Filipe Nyusi, exonerou, através de Despachos Presidenciais separados, Luís Jorge Manuel Teodósio António Ferrão, do cargo de Ministro da Educação e Desenvolvimento Humano, e Rogério José Uthui, do cargo de Reitor da Universidade Pedagógica.

Num outro Despacho Presidencial, o Chefe do Estado nomeou Luís Jorge Manuel Teodósio António Ferrão para o cargo de Reitor da Universidade Pedagógica (UP), conforme um comunicado da Presidência da Republica.

Entretanto, esta nomeação de Jorge Ferrão à Reitor da Universidade Pedagógica, acontece poucos dias após o Conselho da UP ter se reunido em Maputo para por via de votação indicar quem iria conduzir os destinos desta instituição pública de ensino superior nos próximos tempos.

A votação teve lugar semana passada e segundo documentos oficiais da Universidade Pedagógica em poder da nossa Redacção, concorreram a cargo de Reitor da UP, seis candidatos, nomeadamente: Alberto Graziano, António Rube Monjane, Boaventura Aleixo, Gustavo Dgedge, Silvério Pedro Samuel e José Manuel de Morais.

Uma fonte próxima a Universidade Pedagógica, explicou ao Txopela que após a votação, foi apresentada uma lista dos três candidatos mais votados ao Presidente da República para que este pudesse nomear um dos três, todavia, gozando das sua competência, Nyusi “pontapeou” a lista e decidiu exonerar Jorge Ferrão, do cargo de Ministro de Educação e conduzi-lo ao cargo de Reitor da Universidade Pedagógica.

Sendo o chefe de estado, há quem diga que Nyusi, Chefe de Estado, pode estar certeiro na sua acção, mas também pode ser vista como uma acção “pecaminosa”, na medida em que Ferrão tomou recentemente os destinos da educação de Moçambique, um sector que se depara que enormes problemas, sobretudo o de qualidade e que indicar um outro que comece a aprender o ABC de um sector como o da Educação pode ver-se menos eficaz para o bem do próprio sector.

Leia:  Impunidade não senhor Nyusi — Manuel de Araujo

A outra questão prende-se com o facto de as eleições internas da UP, terem envolvido muita logística desde a organização, candidatura, campanha dos candidatos ate a votação, sem no entanto contabilizar os esforços mentais e corporais por parte dos envolvidos.

Em contacto com a redacção do Txopela, a mesma fonte próxima da UP que temos vindo a citar, questionou a importância das eleições internas na UP, se de antemão, o mais alto magistrado de Moçambique já tinha em mente a pessoa merecedora do cargo da Universidade Pedagógica de Moçambique.

Refira-se que para o cargo de Ministro da Educação e Desenvolvimento Humano, Filipe, Nyusi nomeou Conceta Sortane, Deputada da Assembleia da República pela bancada da Frelimo.  (Redacção)

 

LIVRE & INDEPENDENTE

© Jornal Txopela, 2017
Todos os direitos reservados
Fundado em 2014

REGISTO Nº 01/GABINFO-DEC/2016. © AFRO MEDIA COMPANY
Ir para a barra de ferramentas