29 Anos da OJM: Consumo de drogas preocupa OJM

Quelimane (Txopela) – A Organização da Juventude Moçambicana (OJM), braço do partido Frelimo, na Zambézia diz estar preocupada com a forma como os jovens tem estado a perder a sua integridade por desvios comportamentais motivados pelo consumo de drogas.

A preocupação foi manifestada última terça-feira (29) pelo secretário provincial desta organização, Mateus Joaquim a margem das celebrações do Dia da Juventude cujas cerimónias centrais tiveram lugar no distrito de Namacurra.

Falando a jornalistas, Mateus Joaquim frisou que os jovens da Frelimo devem ser íntegros e deu a entender ainda que os jovens são tidos como o espelho pelo que não podem exagerar no consumo de bebidas alcoólicas e devem igualmente abster-se das drogas.

Aquele dirigente faz uma leitura global das situações que tem acontecido nos últimos tempos na província e no país de um modo geral do ponto e vista de criminalidade e aponta o consumo de drogas como sendo um dos elementos motivadores destas práticas maléficas encorajando assim a que os jovens procurem levar a vida enveredando por caminhos justos.

Mateus chamou os jovens a prestarem atenções as manipulações. “Os jovens não podem se deixar levar por questões de manifestações, seminários, palestras para cimentar ideologias antipatrióticas e que incentivam lutas de moçambicanos contra moçambicanos”, – disse a fonte.

Este ano o dia da juventude celebrou-se sob lema, OJM 39 anos promovendo a Unidade Nacional Paz e progresso.

A fonte explica que a escolha deste lema deve-se ao facto da unidade e indivisibilidade do país e a necessidade de preservar este substrato. Moçambique está constituído de vários grupos linguísticos, várias etnias mas este não pode ser visto como motivo de controvérsias pelo contrário de unidade, – disse.

“Temos que trabalhar unidos para o progresso do país. Juntos podemos superar as nossas dificuldades financeiras produzindo intensamente, nos sabemos que Moçambique consome mais do que produz é um dos elementos da crise que apoquenta o pais”, – disse para depois sublinhar que os moçambicanos e sobretudo os jovens tem a possibilidade de reverter o cenário para melhor.

Leia:  Troca de experiências entre municípios : Delegação de Quelimane em Milão

Num outro passo, o nosso interlocutor, sublinhou que os jovens devem tomar as dificuldades como ponto de partida para a superação e que sobretudo entenderem que são eles que tem a responsabilidade de operar mudanças no país.

A OJM foi fundada pelo presidente Samora Machel a 39 anos. Na Zambézia cerca de 318 mil jovens estão filiados a esta organização. (Jacinto Castiano)

LIVRE & INDEPENDENTE

© Jornal Txopela, 2017
Todos os direitos reservados
Fundado em 2014

REGISTO Nº 01/GABINFO-DEC/2016. © AFRO MEDIA COMPANY
Ir para a barra de ferramentas