ANC REORGANIZA-SE: África do Sul pode ser dirigida por mulher nos próximos tempos

 

Redação – 


Quelimane (Txopela) – A presidente da Comissão da União Africana, Nkosazana Dlamini-Zuma, por sinal antiga esposa de Jacob Zuma, poderá tornar-se na próxima presidente do ANC e elegível para as próximas eleições de 2019.

De acordo com o País, as declarações do presidente Zuma, feitas na última quarta-feira, foram consideradas um apoio implícito a Nkosazana Dlamini-Zuma. Jacob Zuma garantiu que já não há problemas dentro do ANC que impediria uma mulher a ascender ao cargo de presidente do partido, que é um trampolim para a presidência da África do Sul.

As declarações de Zuma surgem num momento em que a corrida para a sucessão de Zuma à frente do país está lançada. O actual vice-presidente da República, Cyril Ramaphosa, que recebeu, em finais de Novembro de 2016, o apoio da poderosa confederação sindical, a COSATU, é também apontado como possível candidato.

De acordo com a mesma fonte que fazemos menção, o segundo mandato de Jacob Zuma expira em 2019 e o ANC, que dirige o país desde 1994, deve eleger, em Dezembro de 2017, o seu novo dirigente, que deve tornar-se presidente da República, em caso da vitória do partido nas eleições gerais de 2019.

O ANC tem o desafio de união interna depois de divisões criadas, com alguns membros que pediram a demissão do presidente, além de tentar recuperar de um resultado decepcionante das últimas eleições para os governos locais, nas quais o histórico ANC perdeu nas principais cidades do país. #

 

 

Leia:  DECEPCIONADO COM A SUA INCOMPETÊNCIA: Manuel de Araújo exonera vereador Abrão Macete
LIVRE & INDEPENDENTE

© Jornal Txopela, 2017
Todos os direitos reservados
Fundado em 2014

REGISTO Nº 01/GABINFO-DEC/2016. © AFRO MEDIA COMPANY
Ir para a barra de ferramentas