Mil empresas não canalizam dinheiro ao INSS — Instituição perdeu 10 milhões de meticais em 2016

Por: Joana Cuambe – 


Quelimane (Txopela) — O Instituto Nacional de Segurança Social ao nível da Província da Zambézia perdeu só em 2016 cerca de dez milhões de meticais como resultado de dívidas das instituições que não drenam o seguro de segurança social as contas daquela organização.

Alberto Ernesto Chijua, em representação da Delegada Provincial do Instituto Nacional de Segurança Social da Zambézia disse em entrevista particular ao Jornal Txopela de que o INSS registou no ano de 2016 mais de mil empresas devedoras na Zambézia. A fonte afirmou que este fenómeno afecta a mais de doze mil trabalhadores, que ficam lesados no final das contas.

A fonte acrescentou que no caso de algum problema ou seja em caso de despedimento, doença e outros factores que levem o trabalhador a depender do seguro este encontrasse-a numa situação difícil.

Como forma de recuperar o dinheiro o INSS prevê avançar com medidas duras a destacar, cobranças coercivas junto a execução fiscal e outras serão encaminhadas ao tribunal. Neste momento segundo a fonte, cerca de noventa e quatro empresas estão nas finanças para cobrança coerciva e cinco empresas de segurança encontram-se com processos no tribunal.

Alberto Chijua reforça que deste número avançado são todas empresas privadas, as estatais não está inclusas e para mitigar este facto o INSS tem feito campanhas de sensibilização e tem fiscais para instituições do sector público.

O Instituto Nacional de Segurança Social na Zambézia tinha como meta para o ano de 2016 de inscrever duzentos trabalhadores por conta própria e que tal meta foi cumprida na totalidade, aliás refere que por conta das campanhas de sensibilização ao nível dos mercados e em outros locais de grande concentração populacional, foram inscritos 474 trabalhadores por conta própria que lhes conferiu uma meta em termo de percentagem a fasquia de 237%.

Leia:  QUELIMANE: Esposa do Edil visita a mulher mais velha da cidade

Alberto Chijua disse que em relação a inscrição de empresas que chamam de contribuintes o INSS previa inscrever 920 entretanto foram inscritos 984 o que equivale a 106,96%.

A instituição insta as empresas a cumprirem com a lei e distanciar-se de problemas com a justiça moçambicana.#

LIVRE & INDEPENDENTE

© Jornal Txopela, 2017
Todos os direitos reservados
Fundado em 2014

REGISTO Nº 01/GABINFO-DEC/2016. © AFRO MEDIA COMPANY
Ir para a barra de ferramentas