Arrancou campanha de vacinação contra pólio

Por: Jacinto Castiano –


Quelimane (Txopela) – Está em curso desde a manhã desta quarta-feira (08), a campanha de vacinação contra pólio (poliomielite).

Trata-se da resposta do Ministério da Saúde, através da Direcção Provincial da Saúde da Zambézia, sobre a notificação de um caso da doença, no distrito de Derre, norte da província, e visa essencialmente bloquear eventual alastramento da doença, razão pela qual o processo abrange todas crianças, dos 0-5 anos.

Além de Derre, distrito onde terá sido notificado o caso em Novembro último, a campanha abrange os distritos de Chinde, Inhassunge, Luabo, Mocuba, Mopeia, Morrumbala, Milange, Nicoadala e Namacurra, para além de Caia e Marromeu, parte de Sofala e Mutarara (Tete).

DSC_0743-300x201 Arrancou campanha de vacinação contra pólio

Francisco Bofana-Dir. Nacional de Saúde Pública no acto de vacinação da primeira criança contra pólio.

Francisco Bofana, director nacional de saúde pública que orientou a cerimonia, referiu que é necessário que toda população dos pontos abrangidos possam aderir ao processo, porque não se trata de uma preocupação apenas do sector da saúde mas de todos.

“Essa campanha de cinco dias é uma excepção à regra, a regra é que todos os dias temos que vacinar as crianças”, – disse para depois sublinhar que tal acto assegura a invulnerabilidade delas às doenças, permitindo que cresçam, se formem para o desenvolvimento do país.

Bofana assegurou aos presentes que a vacina é extremamente segura e fácil de ser administrada, pois é ministrada pela via oral (boca).

“Vamos vacinar toda criança, basta ter menos que 5 anos, seja vacinada anteriormente ou não”, – explicou.

A fonte clarificou que a campanha é porta à porta, para garantir maior cobertura.

Refira-se que para materialização do processo, o sector da saúde coadjuvado pelos seus parceiros de cooperação com destaque para Organização Mundial da Saúde (OMS) e Fundo das Nações Unidas para Infância (UNICEF), desembolsou cerca de 23 milhões de meticais.

Leia:  "Tolerância zero ao roubo e contrabando de medicamentos"- Abdul Razak

Em termos de meios técnico e humanos, 213 viaturas, 428 motorizadas, 3 meios flutuantes (barcos), mais de 2 mil técnicos e activistas é o que existe para efetivação do processo. #

 

LIVRE & INDEPENDENTE

© Jornal Txopela, 2017
Todos os direitos reservados
Fundado em 2014

REGISTO Nº 01/GABINFO-DEC/2016. © AFRO MEDIA COMPANY
Ir para a barra de ferramentas