O CURANDEIRO

preto_velho_curandeiro-223x300 O CURANDEIROO curandeiro gritou um dia que todos iriam fingir

Iriam aos hospitais quando estiverem doentes

Mas depois voltariam para ele quando a dor apertar

Ele falou que todos desprezariam seus espíritos

Mas implorariam aos seus deuses após gastarem seus dízimos sem resposta

Ele também citou que iriam comprar carros e andariam sem baptizarem com sua água suja

Mas o procurariam após o primeiro acidente

Que iriam ter casamentos sinceros, mas após o divorcio

Recordariam daquela raiz que ele queria plantar na vossa casa e negaram

 

O curandeiro falou que um dia estariam bem na vida

Que podiam rir lhe bem de tarde

Mas a noite seria os melhores hóspedes de sua casa

Também disse que iriam gradear vossas casas e blindar a sete chaves

Mas após o roubo vocês iriam lhe procurar para recuperar vossos bens

Ele falou que nasceriam vossos filhos e alimentariam de comida das lojas

Mas iriam lhe procurar depois de fortes dores de barriga para a sua primeira dentição

 

O curandeiro falou que um dia vocês iriam lhe esquecer

Mas quando gritarem seu nome ele já teria sido levado

Com seus deuses a terra sem regresso

E após a vida apertar vos

Vocês iriam ao seu cemitério

E iriam lhe fazer cerimónias com farinha para fazer voltar seu espírito

Do mundo sem volta

E ele nem iria perceber que alguém sente a sua falta

Uma cultura, uma identidade

 

Leia:  AQUELE É MEU BRADA: — Belcio Mahoho
LIVRE & INDEPENDENTE

© Jornal Txopela, 2017
Todos os direitos reservados
Fundado em 2014

REGISTO Nº 01/GABINFO-DEC/2016. © AFRO MEDIA COMPANY
Ir para a barra de ferramentas