BALANÇO DA PARTICIPAÇÃO DA ZAMBÉZIA NOS XIII JOGOS ESCOLARES: Elisa Somane desvaloriza penúltimo lugar

DSC0183-300x201 BALANÇO DA PARTICIPAÇÃO DA ZAMBÉZIA NOS XIII JOGOS ESCOLARES: Elisa Somane desvaloriza penúltimo lugarQuelimane (Txopela) — Durante as cerimónias de recepção da delegação da Zambézia, realizada no salão do Instituto de Formação dos Professores de Quelimane, quarta-feira ultima, Elisa Somane, Secretaria Permanente da Província da Zambézia, desvalorizou a décima posição ocupada pelos adolescentes naquela que é considerada a maior festa desportiva escolar do País, dando mérito o bom comportamento apresentado pelos atletas antes, durante e após o festival.

Falando em representação do Governador da Província, Somane declarou o inicio da preparação da província para a próxima edição do festival nacional dos jogos desportivos escolares que terão lugar na província de Manica, detentor pela segunda vez consecutiva do primeiro lugar absoluto do festival desportivo.

Com 158 participantes, a Zambézia esteve representada em oito modalidades nomeadamente o andebol que esteve em 9º lugar em ambos os sexos, o atletismo masculino que ocupou o 6º lugar, e feminino em 4º, o basquetebol masculino em 9º, feminino em 10º, o futebol masculino em 7º lugar, feminino em 8º lugar, a ginástica em 3º lugar em ambos os sexos, os jogos tradicionais masculinos em 9º lugar, feminino em 3º lugar, o voleibol em 11º lugar ambos os sexos e o xadrez masculino em 8º lugar e feminino em 10º lugar, classificação geral 10º lugar. Razões suficientes para dizer que a participação da província da Zambézia na 13ª edição dos jogos desportivos escolares foi uma autêntica vergonha para a província que se pretende uma das maiores fornecedoras de atletas para os escalões maiores do desporto nacional.

Para Beato Dias, Director Provincial da Juventude e Desportos da Zambézia, que fez parte da comitiva que representou a província naquele festival, coadjuvando pela Directora Provincial Adjunta de Educação e Desenvolvimento Humano, Maria Emília Afonso, a queda da província deveu-se a falhas no processo de preparação dos atletas. Beato justifica a sua constatação com o facto da fase provincial ter sido realizada por um período de apenas uma semana, o que segundo explicou, não se consubstancia no processo observação, descoberta e preparação dos atletas, muitos deles provenientes dos distritos com poucas ou nulas condições de preparação tivemos muito pouco tempo de preparação, por isso e que os nossos técnicos não tiveram tempo suficiente para poderem observar os atletas e aproveita-los segundo as suas capacidades e posições desportivas visto que a fase provincial só teve a duração de uma semana, esse tempo não é suficiente para os técnicos tirarem ilações dos talentos e fazer as escolhas certas dos atletas – frisou Beato.

Leia:  [:pt]HÁ 25 ANOS: Ex-Trabalhadores da empresa algodoeira sonham com indemnização[:]

Durante as cerimónias, era notável no semblante dos pupilos, que representaram os mais de quatro milhões de Zambezianos, o ar de desilusão por não poderem ter trazido para casa, as medalhas e os troféus que tanto prometeram aquando da sua partida, muito menos conseguirem manter a oitava posição conseguida na edição passada, que teve lugar em Pemba em 2015.

Falando a nossa reportagem, foram todos unânimes em afirmar que tiveram pouco tempo de preparação em quase todas as modalidades, o que condicionou sobremaneira as suas prestações e consequentemente a sua classificação geral

LIVRE & INDEPENDENTE

© Jornal Txopela, 2017
Todos os direitos reservados
Fundado em 2014

REGISTO Nº 01/GABINFO-DEC/2016. © AFRO MEDIA COMPANY
Ir para a barra de ferramentas