CASO MAX LOVE: MDM acusa autoridades judiciais de agirem de ma fé

Luís de Figueiredo

Domingos-Albuquerque-300x200 CASO MAX LOVE: MDM acusa autoridades judiciais de agirem de ma féQuelimane (Txopela) — O Presidente da Assembleia Municipal de Quelimane, Domingos Albuquerque, proferiu duras críticas ao sistema judicial da cidade de Quelimane pela forma lenta e desleixada como tem conduzido o caso Max Love.

Falando na passada segunda-feira, em entrevista exclusiva concedida ao Semanário Txopela, De Albuquerque afirmou que suspeita que as autoridades judiciais que estão a tratar do caso Max Love estejam a agir de ma fé, como forma de facilitar para que o suspeito possa ser inocentado, num processo que segundo explica, não há motivos para tanta demora porque tudo está claro. “Não vejo motivos para tanta demora neste processo porque tudo está claro, alguém alvejou um cidadão mortalmente, uma situação bastanteintencional e este individuo até então esta livre e a trabalhar como se nada tivesse acontecido”- remata Albuquerque, para depois acrescentar: “ imagine senhor jornalista se o Max Love fosse um membro do partido no poder e que sofresse aquele trágico incidente enquanto estivesse a comemorar a vitória do partido Frelimo, o que teria acontecido ao agente que o alvejou? Todos nós sabemos que este caso já seria esquecido porque a justiça seria feita, o malfeitor estaria preso e a família do finado devidamente indemnizada, então este ó um caso para dizer que a justiça em Moçambique ainda continua refém dos poderes políticos”

Importa recordar que o incidente que levou a morte do jovem músico Max Love teve lugar ao longo da avenida da Marginal quando jovens filiados ao partido MDM comemoravam euforicamente a vitória do seu partido e do seu candidato a presidência do Conselho Municipal, Manuel de Araújo.

Leia:  Filipe Nyusi felicita CPLP
LIVRE & INDEPENDENTE

© Jornal Txopela, 2017
Todos os direitos reservados
Fundado em 2014

REGISTO Nº 01/GABINFO-DEC/2016. © AFRO MEDIA COMPANY
Ir para a barra de ferramentas