Manuel de Araújo deve livrar-se de vereadores corruptos!

O artigo de opinião é assinado pelo jornalista e Director do Semanário Txopela, Zito do Rosário Ossumane.

A capital provincial da Zambézia, Quelimane, completa hoje o seu septuagésimo quinto aniversário, desde que foi elevada àquela categoria, em 1942.

A Cidade de Quelimane vive hoje em tempos de recuperação económica social e cultural. O esforço de reabilitação do património histórico e também dos bairros municipais é bem evidente e tem vindo a transformar a cidade, pese embora o esforço geracional que ainda necessita. A instalação de empresas da área tecnológica e a dinâmica de Quelimane em particular da edilidade, tem permitido que a autarquia diversifique a sua economia e veja o futuro com esperança. A distinta rede de transportes urbanos que vem surgindo, a rede hospitalar notável que possui, os níveis de segurança que apresenta e a sua dinâmica social e cultural, fazem hoje de Quelimane uma cidade acolhedora, tanto para pessoas como para empresas.

IMG_6844-300x257 Manuel de Araújo deve livrar-se de vereadores corruptos!

Zito do Rosário Ossumane

O Turismo veio também impulsionar a cidade e as suas dinâmicas. O Aeroporto constitui hoje como um factor de desenvolvimento importante para a cidade, bem como o turismo que chega por via rodoviária. Esta dinâmica tem assente numa politica de criação e promoção de eventos e na promoção da marca municipal internacionalmente. O turismo constitui, por isso, hoje, um factor de forte desenvolvimento económico e criação de empresas, que o Conselho Municipal de Quelimane tem procurado compatibilizar com as tradições da cidade e da sua gente.

Em 2014 Quelimane foi eleita a cidade modelo em transparência e boa governação ao nível da SADC, galardão que muito merecidamente os munícipes e a autarquia conseguiram conquistar fruto da colaboração entre os munícipes e a edilidade. A muitos anos atrás, a perspectiva de desenvolvimento social e económico parecia eternamente adiada e tudo mantinha-se estático. Porem nos últimos dias, a cidade de Quelimane tem vindo a ganhar uma nova imagem. Um pouco por todo o lado assiste-se à construção e reabilitação de estradas e alguns espaços, que se vão transformando em locais de serviços, habitação e lazer, dando um novo fôlego a autarquia. É caso para dizer que temos uma cidade rejuvenescida. Em 2015 o CMCQ foi distinguido pela fundação MASC – Mecanismo de Apoio a Sociedade Civil pela sua dedicação a defesa da causa pública, testemunho do esforço que a edilidade vem realizando.

Leia:  Falta de transparência na admissão: Ceta Construções é acusada de corrupção

Nesta data em que celebrámos mais um aniversário de elevação à categoria de cidade para além de elogiar a actual administração é também importante ressaltar que os feitos acima descritos foram alcançados graças ao empenho de todos e particularmente daqueles que arregaçaram as mangas e colocaram toda a sua inteligência para um bem maior. Conquanto há evidencias cada vez mais assustadoras de que o Conselho Municipal foi assaltado por indivíduos de índole duvidosa e que colocam em causa a reputação de toda uma máquina administrativa bem como da seriedade do chefe do executivo.

Vereadores que para além de estarem abraçados a actos corruptos, tem vindo a usar das suas funções para extorquir, amedrontar e banalizar a instituição. A impressionante recorrência de escândalos envolvendo o actual vereador para área de infra-estruturas e urbanização, Yassin Calú leva à questão: por que há tanta complacência da sua parte senhor Presidente?

Há, na certa, muitos factores. Mas é importante entender, em primeiro lugar, que os Quelimanenses não compactuam com perspicácia manhosa. A corrupção em Quelimane como no resto do Mundo é fruto das nossas instituições, moldadas até certo ponto por dirigentes como o senhor. Os efeitos nefastos de manter homens com pouca aceitação pública num cargo político por muito tempo é nocivo aos munícipes que vezes sem conta já o abordaram sobre por exemplo a seguinte situação: Criam-se dificuldades para, logo em seguida, oferecerem-se facilidades devidamente comissionadas ao agente público que presta o serviço, claro.

A iniciativa para uma mudança de tal profundidade não partirá de classe política, como o senhor eventualmente porque se até hoje não consegue livrar-se de um homem que sufoco aos munícipes seguramente existe algum compadrio de sua excelência.  Mas políticos também são indivíduos racionais que respondem a incentivos. Cabe, portanto, à sociedade Quelimanense dar-lhes o sinal por meio das instituições democráticas. Somente assim nos livraremos da chaga da corrupção, que corrói diariamente nossas instituições e trava nosso desenvolvimento.

LIVRE & INDEPENDENTE

© Jornal Txopela, 2017
Todos os direitos reservados
Fundado em 2014

REGISTO Nº 01/GABINFO-DEC/2016. © AFRO MEDIA COMPANY
Ir para a barra de ferramentas