Radio Quelimane FM notificada pela PRM

Radio-Quelimane-FM-300x225 Radio Quelimane FM notificada pela PRM– Sindicato Provincial de Jornalistas deplora tentativas de intimidação de profissionais da comunicação social.

 Quelimane (Txopela) – A Rádio Quelimane FM, uma estação comunitária que emite o seu sinal a partir da capital provincial da Zambézia, foi notificada semana última pela Policia da Republica de Moçambique ao nível da cidade de Quelimane concretamente na 1º esquadra para ao que apuramos no local responder pela divulgação de uma notícia emitida no seu bloco informativo matinal. Trata-se de uma peça de reportagem que denunciou comportamentos que indiciam corrupção e abuso de poder por parte de um dirigente.

Aos contornos: Um jornalista da estação ouviu denúncias de funcionários e trabalhadores de uma instituição onde indicam o seu responsável como sendo um indivíduo de má conduta por estar envolvidos em esquemas ilícitos embora o jornalista na ocasião tenha contactado o visado para exercer direito ao contraditório este abdicou-se, tendo sido publicada a matéria em alusão, este decidiu recorrer a PRM como tentativa de intimidar aos profissionais do órgão para não dar seguimento ao assunto.

A reacção do Sindicato de Jornalistas

O Sindicato Provincial de Jornalistas na Zambézia colheu a informação com desagrado e vaticina “parece existir uma campanha com vista a intimidar os jornalistas nos últimos dias e este não é o primeiro caso aqui na Zambézia” – explica Teófilo Moronha, Secretario Provincial do órgão que defende os interesses desta classe. Segundo o nosso interlocutor tal facto preocupa o órgão que dirige e tenciona nos próximos dias reunir os profissionais de comunicação para uma avaliação com vista a compreender a origem do fenómeno de intimidação recorrente aos jornalistas.

“O cidadão achando que foi lesado pode submeter uma queixa para ver a sua imagem e bom nome restituída assim como os órgãos de informação tem a liberdade de publicar conteúdos de natureza diversa dentro dos princípios deontológicos ” circunda, advogando que tais liberdades devem ser exercidas sem monopólio ou tentativas de intimidação.

Leia:  Voltamos!

SPJ na Zambézia apela maior colaboração das instituições, fontes de informação oficiais principalmente na disponibilização de informações aos profissionais de comunicação social vaticinado que tal facto evitará a divulgação de informação inconclusiva ou difamatória.

LIVRE & INDEPENDENTE

© Jornal Txopela, 2017
Todos os direitos reservados
Fundado em 2014

REGISTO Nº 01/GABINFO-DEC/2016. © AFRO MEDIA COMPANY
Ir para a barra de ferramentas