UM ANO DEPOIS DA INAUGURAÇÃO: Edifício da Assembleia Provincial apresenta imperfeições

IMG_9255-300x200 UM ANO DEPOIS DA INAUGURAÇÃO: Edifício da Assembleia Provincial apresenta imperfeiçõesConstatou a Empresa fiscalizadora MC- ARQUITECTOS

 Quelimane (Txopela) — A obra de construção da sede da Assembleia Provincial da Zambézia, inaugurada pelo Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, em Julho do ano passado, ainda não foi entregue na totalidade ao dono da obra, em causa estão anomalias detectadas no edifício pelo fiscal da obra.

O Presidente da Assembleia Provincial Betinho Jaime, disse ao Semanário Txopela, que a instituição que dirige esperava receber formalmente a obra no passado mês de Julho, entretanto, após a avaliação efectuada pelo fiscal da obra a empresa MC- ARQUITECTOS com sede em Quelimane várias anomalias foram detectadas, o que levou ao adiamento do acto de entrega da mesma.

Betinho Jaime, disse que o fiscal da obra apresentou junto da Assembleia Provincial, um ofício contendo todas informações relevantes que justificassem o adiamento da entrega da obra, visto que, segundo explicou, é necessário que estes problemas sejam resolvidos pelo empreiteiro antes da entrega definitiva do edifício, dado que os problemas apresentados pelo fiscal são legítimos e de crucial importância para o garante de qualidade e durabilidade daquele imponente edifício.

No documento em alusão, composto por seis páginas e que o Semanário Txopela teve acesso, é possível ler-se que os problemas ora detectados pelo fiscal, põem em causa a segurança da obra e recomenda-se a correcção imediata dos mesmos, antes da entrega definitiva do edifício ao proprietário. Do mesmo modo, é possível ver as imagens das anomalias detectadas pelo fiscal, apresentadas de forma detalhada e com algumas propostas de correcção. Trata-se de rachas nos vidros, degraus danificados, manchas nas paredes indicando sinal de infiltração da água, entre outros problemas.

Leia:  Abdul Razak parabeniza as FADM pelos 53 anos de existência

Há que tomar em conta que o empreiteiro da obra, a construtora CASTANHEIRA & SOARES, é uma empresa de grande gabarito no ramo de construção e com uma reputação impecável ao nível internacional, sedeada na ilha dos Açores em Portugal e opera em Moçambique já há bastante tempo tendo construído várias infra-estruturas de ordem socioeconómica e cultural de grande valor no País.

 

LIVRE & INDEPENDENTE

© Jornal Txopela, 2017
Todos os direitos reservados
Fundado em 2014

REGISTO Nº 01/GABINFO-DEC/2016. © AFRO MEDIA COMPANY
Ir para a barra de ferramentas