GRAHAM STRONG EM QUELIMANE “Vamos melhorar as condições das crianças na Zambézia”

GRAHAM-STRONG--300x200 GRAHAM STRONG EM QUELIMANE “Vamos melhorar as condições das crianças na Zambézia”Quelimane (Txopela) — O Director Nacional da Organização não-governamental humanitária World Vision, Graham Strong manifestou na manhã desta quarta-feira na cidade de Quelimane, a sua vontade de mudar as condições de vida e de saúde das Crianças Órfãs e Vulneráveis em Moçambique.

Graham Strong, disse estarem criadas todas as condições para que as crianças necessitadas voltem a sorrir e a sonharem com um futuro melhor: “Pretendemos neste momento contribuir para maior utilização dos serviços de saúde e nutricionais de qualidade, a redução da vulnerabilidade económica das famílias das Crianças Órfãs e Vulneráveis (COV’s), e a colaboração com as autoridades governamentais para o fortalecimento dos sistemas de protecção social”. – Elucidou.

As boas novas foram tornadas públicas por aquele dirigente a margem da cerimónia de lançamento oficial das actividades do projecto CoVida na província da Zambézia, acto que contou com a participação do Governador da Província Doutor Abdul Razak.

Razak disse na sua intervenção que na província da Zambézia as más condições de saúde e de vulnerabilidade económica constituem a maior preocupação das autoridades locais dado que grosso números de crianças menores de 15 anos de idade encontram-se debaixo desta realidade que segundo ele, é agravada pela rotura de medicamentos essenciais nas unidades sanitárias.

Razak recorreu a definição do termo saúde para esclarecer a que estar saudável não significa somente a ausência da dor no organismo humano mas sim, que todos os órgãos que o compõem estejam a funcionar em plenitude e sem máculas: “Agradecemos as Organizações Não-Governamentais que se juntaram num só projecto para de forma coerente, activa e resilientes poderem lutar contra a marginalização das crianças vulneráveis no nosso Pais em geral e na nossa província em particular, como Governo estamos prontos e comprometidos a trabalhar convosco e a dor todo o suporte necessário para que o vosso projecto tenha o sucesso que merece” – Palavras de Razak.

Leia:  Atenção Funcionário e Agentes de Estado: Quem não fizer prova de vida, o sistema cancela automaticamente o pagamento de salários

Para Quino Fernando, Presidente Nacional do Parlamento Infantil em Moçambique, projectos de género serão sempre bem-vindos pois representam de forma prática os anseios da classe que dirige: “O grande desafio do Parlamento Infantil ao nível nacional é de ver os direitos da criança sendo valorizados e cumpridos de forma escrupulosa a todos os níveis a partir da base ao topo e o direito a educação é um dos primordiais, por isso quando vemos projectos de género a serem implementados no nosso País, não temos mais nada a dizer se não agradecer as titios que têm se desdobrado para garantir o futuro de Moçambique seja risonho investindo sem mãos a medir na educação e na saúde daqueles meninos que não tem condições financeiras para fazê-lo de forma particular”.

Importa referir que o projecto CoVida é uma iniciativa do consorcio composto pelas organizações FHI360, World Vision, Care, Nweti, Path e Paladuim, financiado pelo USAID com o fundo do PEPFAR, em coordenação com o Governo de Moçambique através do Ministério de género, Criança e Acção Social, vocacionado a prestação de serviços de assistência a crianças órfãs e vulneráveis e esta sendo implementado em 57 distritos com a previsão de se alastrar ate aos 74 distritos prioritários em toda extensão territorial.

LIVRE & INDEPENDENTE

© Jornal Txopela, 2017
Todos os direitos reservados
Fundado em 2014

REGISTO Nº 01/GABINFO-DEC/2016. © AFRO MEDIA COMPANY
Ir para a barra de ferramentas