Após o suicídio superaquecido do Golden Boy, e ainda se recuperando do último decreto vivo de Brink para expulsá-la da Godolkin U., uma Marie atordoada senta-se com Andre enquanto a segurança do campus varre pedaços sangrentos de seu falecido amigo em uma pilha enquanto Geração V O episódio 2 (“Primeiro dia”) começa. Por que ele fez isso, Marie nem consegue adivinhar. Luke tinha toda a adulação que um jovem super poderia desejar, além de um convite para Os Sete. E Andre se pergunta o que seu melhor amigo quis dizer no final, quando o abraçou e disse: “Seu pai está com ele”. Em uma teleconferência irritada com o conselho da universidade, a presidente da Vought, Ashley Barrett (Rapazes favorito Colby Minifie) está se perguntando sobre outra coisa. “Tenho produtos do Golden Boy no valor de 45 milhões de dólares no porto de Los Angeles que vou ter que incendiar. Então qual é a porra da peça?!”

É bastante fácil para Vought, o conselho e Dean Shetty inventarem uma história que administre o ângulo da mídia. Golden Boy era um usuário crônico de drogas, dirão, e sofreu um surto psicótico que levou à violência. Mas há um problema maior surgindo em segundo plano. “Se The Woods for exposto”, Barrett avisa o reitor, “todos teremos um grande problema potencialmente fatal”. E aqueles bosques? É um fio do qual só tivemos vislumbres, como nos sonhos torturados de Luke ou na cela onde outro garoto do campus foi jogado, depois que Marie testemunhou sua tentativa desesperada de fuga. Mas Marie não pode pensar nisso ou na morte de Luke, porque o semestre está começando. Ela não apenas não foi expulsa, mas também foi colocada como caloura em aulas de combate ao crime de nível 300 em Lamplighter, com Indira Shetty como professora após a morte de Brink. Marie está empolgada, mas tudo isso faz parte da peça de Vought. Ao lado de estudantes como Andre e Cate, ela está sendo preparada como a próxima rodada de mercadorias de marca da corporação todo-poderosa.

Com certeza, quando as classificações atualizadas forem divulgadas, Andre será o novo número um e Marie será a primeira verdadeira caloura a quebrar o top ten. (Jordan está estático no número cinco e chateado com isso, já que eles lutaram contra Golden Boy no final, não contra Marie.) Uma sessão de fotos está agendada, além de uma entrevista na televisão nacional com um tipo de âncora da Fox, a apresentadora do Vought News Haley Miller (Leigh Bush), para o qual Marie recebe um roteiro que arrasta Luke e afirma que ele agiu sozinho. É um pouco desconfortável – também um pouco lisonjeiro, ela tem que admitir – mas Marie logo fica impressionada com o espetáculo, especialmente quando Haley diz que Vought contatou sua irmã mais nova para comentar. E para raiva de Jordan, Marie recita o roteiro escrito ao vivo na televisão. Mas isso não significa que ela acredite na narrativa construída.

GEN V EPISÓDIO 2 PREENING

Em sua aula de atuação, Emma faz parceria com Justine (Maia Jae Bastidas), uma super-atora da versão de Vought da CW que silenciosamente conquista sua confiança antes de traí-la completamente. Emma compartilhou como ela tem que purgar para ficar pequena, enfiando os dedos na garganta e ficando cada vez menor. É algo que ela administra, mas é uma provação e extremamente particular. É por isso que Emma fica mortificada quando Justine e seu podcast de vídeo “Spill the Tea” combinam seu poder com arrogância sobre o patriarcado, os padrões de beleza e o olhar masculino. Todos problemas sérios, mas Emma nunca deu consentimento direto a Justine. E depois de um confronto, Justine continua sem remorso. “Conseguir curtidas é uma tarefa árdua… e sem ofensa, mas você está sendo muito intenso sobre isso.”

O pai de Andre, Polarity, está pressionando-o para conquistar os holofotes. “Luke nos deu o que você tem aqui – uma oportunidade”, diz ele. Porque no Vought World tudo é marketing, e uma classificação número um tem o potencial de enviar Andre para a superestratosfera. Dinheiro. Endossos. Amor dos cidadãos. Andre bate no bongo em vez de se inclinar para as sessões de fotos e entrevistas, encontra uma Cate perturbada e usa seus poderes de manipulação de metal para abrir a estátua de seu pai no campus pela virilha. (Cate: “Isso é realmente freudiano.”) E o que há dentro senão um telefone com a última mensagem de vídeo de Luke, um apelo para salvar seu irmão mais novo, que ele diz estar sendo mantido em cativeiro na Floresta. Os dois amigos sempre entenderam que o irmão esquizofrênico de Luke havia falecido. Mas quando Andre se infiltra no escritório de Brink e vasculha seu laptop, ele encontra um banco de dados com o nome de todas as crianças detidas em The Woods, incluindo Sam Riordan (Asa Germann). É o mesmo jovem que Marie viu tentando escapar. O irmão de Luke não cometeu suicídio e está detido aqui mesmo no campus de Godolkin.

GEN V LANTERNA BJ

Marie sabe que terá que acertar o que disse na entrevista com Jordan. Mas ela também se pergunta se Indira Shetty sabia do contato de Vought com sua irmã. Shetty, que está totalmente encolhida com Marie sobre seu passado traumático e desejo de se tornar uma heroína, nega que soubesse de alguma coisa com um abraço. Mas a imagem reversa nos mostra um par de olhos sombreados que revelam a verdade. Afinal, este é um reitor de estudantes, um suposto aliado, que também opera um covil subterrâneo secreto cheio de pesquisas ilegais sobre jovens supers. E é nesse covil que Andre rastreia um grupo de seguranças, que usam um cartão para acessá-lo através de um painel escondido em uma parede de cimento. Cate estava seguindo Andre e “empurra” os guardas quando eles estão prestes a descobri-lo. (Com seu poder, ela os convence a realizar atos sexuais cômicos um com o outro, em vez de estourar a cabeça de Andre com seus cassetetes.) O Bosque fica bem ali, além do muro. Mas ainda não há como entrar. E antes que Andre possa fazer qualquer outra coisa, Cate sofre uma convulsão provocada por todo aquele empurrão cognitivo.

Johnny Loftus é um escritor e editor independente que mora em Chicago. Seu trabalho apareceu em The Village Voice, All Music Guide, Pitchfork Media e Nicki Swift. Siga-o no Twitter: @glennganges



Fuente