No início deste ano, fui contatado por Kody Ford, Diretor de Programas e Divulgação da Arkansas Cinema Society. Ele me pediu para fazer parte do comitê de seleção da ACS para seu festival anual de cinema, Filmland. E depois de assistir horas e horas de curtas-metragens e longas-metragens, alguns bons, alguns ótimos e alguns terrivelmente ruins, chegou a hora de exibir a proverbial nata da colheita, no recém-renovado Museu de Belas Artes do Arkansas.

Filmland acontecerá durante dois finais de semana este ano. Este fim de semana, apelidado de Filmland: Arkansas, está programado para ser dedicado exclusivamente a filmes que tenham conexão com o Arkansas. Essa conexão pode ser tão simples quanto o filme ter sido rodado aqui no estado, ou ter um Arkansas como membro-chave do elenco ou da equipe.

O fim de semana seguinte terá como destaque uma prévia do mais novo filme de Jeff Nichols, “The Bikeriders”, que explora o mundo da cultura do motociclismo dos anos 60 e é estrelado por Austin Butler, Tom Hardy e Michael Shannon. A exibição será seguida de perguntas e respostas com Nichols e um leilão com “lembranças” do filme. A Filmland também exibirá a estreia de Shannon na direção, “Eric Larue”, uma adaptação de uma peça de Brett Neveu (que também escreveu o roteiro). É estrelado por Judy Greer e Alexander Skarsgård como os pais de um adolescente atirador de escola que mata três de seus colegas de classe, em 14 de outubro.

Quando o filme estreou no Festival Tribeca deste ano, foi gentilmente avaliado. Para o site Screen Rant, Patrice Witherspoon chamou-o de “uma grande conquista na análise crítica dos vários estágios e consequências de uma grande tragédia” e disse que “a estreia de Shannon na direção é poderosa e convincente… Este pode ter sido o primeiro longa-metragem de Shannon, mas suas percepções sobre o comportamento e as emoções humanas – que ele usou em sua atuação – são lindamente transferidas para sua direção.”

Mas neste final de semana temos sete blocos de curtas, três longas e duas oficinas. O público em geral pode precisar de um pouco de orientação para escolher quais filmes deseja apoiar no Filmland: Arkansas.

Como já vi todos os filmes da programação deste ano, decidi destacar alguns dos meus favoritos para ajudar os indecisos do público.

CALÇÕES DE ESTUDANTE

É sempre difícil recomendar filmes produzidos por “estudantes”. Na maioria das vezes, os filmes desta categoria carecem do brilho profissional a que o público está acostumado. Os cineastas novatos muitas vezes cometem o erro de tentar amontoar uma ideia de longa-metragem em uma duração de 10 minutos; cujos resultados nunca são satisfatórios. Mas a qualidade da maioria dos filmes estudantis exibidos neste fim de semana está no mesmo nível de muitos filmes de grande orçamento em estilo e estrutura narrativa.

Dois dos melhores curtas-metragens lançados pela University of Central Arkansas em muito tempo serão exibidos esta tarde. “O Professor Mais Lamest do Mundo”, dirigido por Casey Floyd, é um olhar contundente sobre a profissão docente. A trama acompanha um desgastado professor do ensino médio, interpretado habilmente por Daniel Beltram, que tem que aturar alunos desinteressados, cheios de raiva, que usam drogas e pensam em suicídio. Floyd, ele próprio um ex-professor do ensino médio, dá ao filme credibilidade suficiente para nos fazer sentir empatia com o quão emocionalmente desgastante é ser um educador.

Do outro lado desta edição está “JOE (Just Ordinary Everyday)”, dirigido por Bailey Vo, que enfoca a saúde mental de estudantes do ensino médio. O personagem principal deste filme é um atleta que luta contra a masculinidade tóxica, a amizade, a sexualidade e a saúde mental. Vo cria uma atmosfera quase hiperestilizada que coloca o público na mentalidade do adolescente moderno, com todas as pressões e angústias que a sociedade inflige.

CALÇÕES PROFISSIONAIS

Melhor qualidade visual, uma narrativa mais sólida e geralmente um orçamento modesto são a marca de um curta profissional feito por cineastas que já passaram algum tempo na indústria. Meu favorito nesta categoria é um curta chamado “Sugar Crash”, dirigido por Jon Huggins. É um filme de aparência elegante, com uma narrativa compacta e que sabe não exagerar nas boas-vindas. A história segue dois meninos que tentam entrar furtivamente na caixa de doces da avó. Suas ações rapidamente os levam a uma situação de vida ou morte. Como alguém que já trabalhou com atores mirins antes, sei que pode ser difícil aturar eles, mas Huggins consegue um desempenho confiável de suas duas pequenas estrelas. “Sugar Crash” foi exibido no início deste ano no festival Arkansas Shorts e até ganhou um de seus prêmios de público. É também um dos meus curtas favoritos exibidos neste fim de semana.

Mas para aqueles que desejam algo mais fundamentado na realidade, há uma exibição de documentário incrivelmente boa chamada “Crônica de um Dia de Verão”. O filme é descrito como “documentando vagamente a instalação floral do décimo primeiro mês de 2021 de John Caleb Pendleton”. Mas parece que se trata mais do que apenas arranjar flores. Trata-se de uma comunidade de artistas que se reúnem para criar um buquê de lembranças e celebração usando poesia, fotografia, música e filme em uma montagem elaborada, colorida e eficaz de empoderamento.

OFICINAS

Os workshops geralmente atraem principalmente cineastas locais, mas a Filmland está oferecendo um que pode ser do interesse do público em geral que deseja apimentar seu Halloween. Maquiadora de efeitos especiais, Sahlah Tepes dará uma aula sobre sangue, tripas e efeitos práticos de maquiagem. Tepes trabalhou em vários filmes de fãs inspirados em Jason Voorhees, então ela tem um talento horrível para estripação, cabeças decepadas e todas as coisas de terror corporal.

Mas se você quiser aprender algo mais prático, haverá outro painel que foi estranhamente intitulado “Desmistificando a Lei do Entretenimento”. O advogado baseado em Nova York, Matthew Rogers, dará palestras aos cineastas sobre o “legalismo da pré-produção” e se concentrará nos contratos e acordos encontrados na indústria cinematográfica. E considerando todas as greves recentes em Hollywood, aprender os fundamentos da lei do entretenimento pode ser benéfico para aqueles que estão se preparando para entrar na indústria.

CARACTERÍSTICAS

Se há um filme que você deseja conferir neste fim de semana, certifique-se de que é “Ghosts of the Void”, de Jason Miller. É uma reviravolta incrivelmente única no subgênero de invasão de domicílio. Na verdade, eu chamaria isso de filme de “invasão de sem-teto”. Um casal recém-sem-abrigo vive no seu carro. Uma noite, estacionados em um playground silencioso e desolado, três homens mascarados começam a aterrorizar o casal brigão. Este é um thriller lento que não depende de sustos baratos ou de uma quantidade obscena de sangue. O filme é fortemente voltado para os personagens, pois vemos esse casal não apenas tentando sobreviver ao ataque, mas também tentando sobreviver um ao outro. E no final do filme você fica questionando quem é o verdadeiro vilão.

Filmland: Arkansas acontece hoje, sábado e 14 e 15 de outubro. A programação completa pode ser encontrada em www.arkansascinemasociety.org/filmland-2023

Fuente