O número de tropas estacionadas ao longo da fronteira Rússia-OTAN “duplicará”, à medida que aumenta a ameaça de um futuro conflito mundial, de acordo com a inteligência estrangeira da Estónia.

De acordo com o serviço de inteligência do país, Vladimir Putin planeia duplicar o número de tropas ao longo da fronteira com os Estados Bálticos e a Finlândia.

Embora a Rússia alegue actualmente não estar preparada para acções militares contra a NATO, está a considerar a possibilidade de conflito no futuro.

As reformas militares russas reveladas desde finais de 2022 sugerem um aumento significativo de tropas no flanco oriental da NATO, incluindo os Estados Bálticos e a Finlândia.

O relatório dos serviços secretos da Estónia indica que, ao longo da fronteira com a Finlândia, poderá ser criado um novo corpo do exército russo, composto por duas ou três unidades de manobra com unidades de apoio adicionais.

Acumulações militares semelhantes foram observadas ao longo da fronteira entre a Rússia e a Ucrânia antes da invasão da Ucrânia em 2022.

O ministro da Defesa da Dinamarca também alertou sobre o potencial de um ataque russo dentro de três a cinco anos. A Estónia sublinha a necessidade de os aliados da NATO dissuadirem a Rússia aumentando as despesas militares.

A Estónia planeia gastar mais de 3% do seu PIB na defesa este ano, ultrapassando a meta de 2% da NATO.

O relatório também destaca preocupações sobre o enorme orçamento de guerra da Rússia de 14,3 biliões de rublos para 2024, representando 6% do PIB.

A produção de armas russa, auxiliada por fornecimentos do Irão e da Coreia do Norte, ultrapassa a da Ucrânia e do Ocidente.

Apesar de sofrer perdas de equipamentos pesados, a Rússia está a modernizar os veículos blindados e a procurar fornecimentos alternativos para contornar as sanções ocidentais.

Fuente