Cuidar da saúde bucal desde a infância é fundamental para assegurar o bem-estar geral das crianças. O hábito de uma boa higiene oral não apenas promove um sorriso brilhante, mas também desempenha um papel crucial na saúde global, impactando a digestão, a fala e o desenvolvimento social dos pequenos.




Os cuidados com os dentes devem começar na infância

Foto: Oksana Kuzmina | Portal Shutterstock/EdiCase

A Dra. Nádia Salem, mestre em odontopediatria pela Universidade de São Paulo (USP) e responsável técnica da Associação Israelita Fortunée de Picciotto, entidade que presta atendimento odontológico para crianças em situação de vulnerabilidade social, explica sobre a importância da higiene bucal e do acompanhamento com odontopediatra desde recém-nascido.

“Indicamos levar o bebê ainda sem dentes para a odontopediatra ou até o primeiro ano de vida. Nesta consulta, os pais ou responsáveis recebem muitas orientações, dicas importantes, sobre variados assuntos, sobre higiene bucal correta, técnicas de escovação, pasta com flúor, hábitos bucais e muito mais. Essa consulta é importantíssima para direcionar os pais e para que essa criança cresça e tenha uma saúde bucal adequada, com qualidade de vida, autoestima e zero cárie”, destaca.

Por isso, a seguir, a odontopediatra esclarece algumas dúvidas de pais e responsáveis sobre quando e como começar os cuidados com os dentes dos bebês e crianças. Confira!

1. Bebês também precisam fazer a limpeza da gengiva?

Se o seu bebê ainda não possui dentes de leite, não é necessário fazer a higiene bucal. Fazer a higiene neste momento pode acabar removendo anticorpos provenientes do leite materno, que ficam depositados na mucosa oral do bebê, interferindo na imunidade dele. Como não existe nenhuma barreira mecânica na boca do bebê, a própria saliva consegue realizar o papel da “limpeza” dos resíduos do leite.



A ida ao dentista é importante para garantir a saúde dos dentes das crianças

A ida ao dentista é importante para garantir a saúde dos dentes das crianças

Foto: Harbucks | Shutterstock/Portal EdiCase

2. Quando marcar a primeira consulta?

A primeira consulta com a odontopediatra deve ser realizada antes do nascimento do primeiro dente de leite ou até no máximo um ano para um melhor acompanhamento do desenvolvimento da dentição. As crianças em idade escolar e adolescentes devem ir ao dentista a cada seis meses (se estiver com a saúde bucal em dia) ou de acordo com a recomendação do profissional para avaliação individual.

As consultas podem gerar medo e preocupação nas crianças, mas os pais podem amenizar esses sentimentos tentando fazer desse encontro um momento agradável e, de forma lúdica, explicar os motivos antes da visita

Usar palavras como “dor” ao falar das próprias experiências no consultório também pode gerar medo antes mesmo da consulta. Caso a criança fique insegura, os pais poderão dizer que o dentista usará instrumentos especiais para garantir que os dentes fiquem limpos, bonitos, brilhantes, branquinhos e saudáveis. Ouvir a criança e incentivá-la a compartilhar medos e preocupações também é uma maneira saudável de ajudá-la a entender o momento.

3. Meu filho pode escovar os dentes sozinho?

Antes de qualquer resposta, pode ser que a criança não tenha desenvolvido ainda a habilidade motora necessária para uma escovação perfeita. Contudo, o que nós, odontopediatras, indicamos é que os pais assumam o compromisso da escovação dos dentes até que a criança complete oito anos de idade ou esteja apta e tenha uma coordenação motora para essa função.

Ensinar a criança a cuidar de sua saúde bucal é importante desde cedo. A recomendação é que desde bebê, quando nasce o primeiro dente, por volta dos seis meses, os pais usem no pequeno uma escova de dente supermacia e adequada para o bebê. Além disso, é importante lembrar que a limpeza realizada antes de dormir é a principal, para evitar que resto de alimentos grudem nos dentes do bebê durante a noite.

É essencial que os pais saibam escovar os seus próprios dentes e, assim, possam dar exemplo aos filhos. A higiene bucal deve ser feita diariamente entre as amamentações ou refeições. O ideal é que esses hábitos sejam implementados o quanto antes. Quando os filhos estiverem mais velhos, já estarão acostumados à ideia de que existe uma rotina para realizar a higiene bucal.



A escovação deve ser feita após o uso do fio dental

A escovação deve ser feita após o uso do fio dental

Foto: Oksana Kuzmina | Portal Shutterstock/EdiCase

4. O que fazer primeiro: escovar ou usar o fio dental?

O recomendado é que você faça uso do fio dental, preferencialmente, antes de todas as suas escovações do dia. Há dois motivos para isso. O primeiro é que, ao remover os restos de alimentos que ficam no espaço entre os dentes e, muitas vezes, alojados bem próximo à gengiva, o fio dental facilita o trabalho posterior da escova.

Já o segundo motivo é que, ao adotar esse hábito como a primeira etapa da sua higiene bucal, dificilmente você vai esquecê-lo, adiá-lo ou fazê-lo de qualquer jeito. Contudo, o uso do fio dental antes da escovação não é algo obrigatório. Caso você prefira e se sinta melhor em utilizá-lo apenas depois da escovação, sem problemas.

Lembrando que é necessário passar pelo menos uma vez ao dia, de preferência na escovação antes de dormir.

5. Posso usar qualquer tipo de pasta de dentes?

Escolha sempre pastas com flúor, mas existe uma quantidade certa para o uso em crianças. Por isso, a importância de conhecer os produtos disponíveis no mercado e saber ler as embalagens. O odontopediatra vai indicar a pasta ideal para o seu filho, mas você pode procurar sempre opção com flúor, a partir de 1000 ppms de flúor.

6. Devo escovar a língua da criança?

Escovar a língua diariamente também é necessário. Isso porque esse órgão é capaz de acumular restos alimentares e pode ser reservatório de várias bactérias, causando o mau hálito e outras doenças. A língua apresenta um aspecto rosado e lisinho, isso quer dizer que ela está saudável. Do contrário, ela ficará esbranquiçada e descamada, causando várias complicações bucais.

O problema se agrava quando os micro-organismos encontrados nos restos alimentares da sua língua migram para outros locais do corpo, inclusive pelo sangue, causando infecções de garganta e até mesmo em órgãos distantes, como o coração.

A escova de dente não é a única ferramenta para a escovação da língua, existe um raspador específico que ajuda na remoção das bactérias. Mas, se a sua única opção é a escova de dente, não tem problema, ela também é recomendada na limpeza desse órgão.

Lembrando sempre de escovar de dentro para fora e manter o objeto seco depois da escovação, evitando que as bactérias voltem para sua boca na próxima escovação.

Sempre que tiver dúvidas sobre a saúde bucal da criança consulte um especialista, ele dará as devidas orientações para um cuidado direcionado à necessidade de cada paciente.

Por Calu Fernandes

Fuente