A Comissão Federal de Comércio disse na quinta-feira que proibirá a gigante de antivírus Avast de vender dados de navegação na web dos consumidores a anunciantes depois que a Avast alegou que seus produtos impediriam seus usuários de rastrear online.

A Avast também liquidou as acusações do regulador federal por US$ 16,5 milhões, que a FTC disse que proporcionará reparação aos usuários da Avast cujos dados confidenciais de navegação foram vendidos indevidamente a gigantes da publicidade e corretores de dados.

“A Avast prometeu aos usuários que seus produtos protegeriam a privacidade de seus dados de navegação, mas entregou o oposto”, disse Samuel Levine, diretor do Bureau de Proteção ao Consumidor da FTC, em uma declaração na quinta-feira. “As táticas de vigilância do tipo isca e troca da Avast comprometeram a privacidade dos consumidores e infringiram a lei”, disse Levine.

A FTC disse que a Avast coletou os hábitos de navegação online dos clientes durante anos, incluindo suas pesquisas na web e quais sites eles visitaram, usando as próprias extensões de navegador da Avast, que a gigante dos antivírus alegou que “protegeriam sua privacidade” ao bloquear cookies de rastreamento online.

Mas a FTC alegou que a Avast vendeu dados de navegação dos consumidores através de sua subsidiária agora fechada, Jumpshot, para mais de uma centena de outras empresas, gerando dezenas de milhões de dólares em receitas para a Avast.

O regulador disse que os dados de navegação vendidos pela Jumpshot revelaram crenças religiosas dos consumidores, preocupações com a saúde, tendências políticas, sua localização e outras informações confidenciais.

Uma investigação conjunta de Vice-Notícias e Garon em janeiro de 2020 revelou que a Jumpshot estava vendendo dados altamente confidenciais de navegação na web para empresas como Google, Yelp, Microsoft, Home Depot e a gigante de consultoria McKinsey. Os relatórios descobriram que a Jumpshot também estava vendendo acesso aos dados de cliques de seus usuários, incluindo os links específicos nos quais seus usuários clicavam.

Na época, o Avast tinha mais de 430 milhões de usuários ativos em todo o mundo. A Jumpshot disse ter acesso a dados de 100 milhões de dispositivos.

A Avast fechou sua subsidiária Jumpshot dias após o relatório conjunto do Vice-PCMag.

A Avast se fundiu com o NortonLifeLock em um acordo de US$ 8,1 bilhões em 2021 e agora está sob a responsabilidade da controladora Gen Digital, que também possui o aplicativo utilitário de computador CCleaner.

Quando contatado na quinta-feira para comentar, o representante da Gen Digital, Jess Monney, forneceu ao TechCrunch uma declaração, dizendo: “Quando o Avast fechou voluntariamente o Jumpshot em 2020, ele cessou essas práticas. As disposições operacionais do acordo são consistentes com os atuais programas de privacidade e segurança da Avast.”

O comunicado da Avast disse que discordava das “alegações e caracterização dos fatos” do governo, sem especificar como ou por quê, mas que a empresa estava “satisfeita em resolver este assunto”.

Fuente