A Paramount contratou Douglas Trumbull porque ele já havia, em 1979, reunido alguns dos efeitos visuais mais incríveis que os cinemas já haviam visto. Ele não apenas criou sequências para “Contatos Imediatos de Terceiro Grau”, mas foi um dos principais contribuidores de “2001: Uma Odisséia no Espaço”. Ele trabalharia em “Blade Runner” e “The Tree of Life”, além de dirigir os filmes “Silent Running” e “Mindwarp”.

Ao conversar com TrekMovie, Trumbull admitiu que nunca falou com Roddenberry. O projeto era dele e Roddenberry atuou como produtor, mas parece que ele foi retirado da produção logo no início para deixar cada um fazer o que queria. Trumbull disse:

“Eu não tive contato com ele. Essa foi uma história interessante. Não sei se alguém conhece essa história, mas Gene era, segundo o estúdio, um homem muito, muito difícil de se conviver. E para progredir na produção do filme, mesmo antes de eu embarcar, a Paramount apenas providenciou para colocar Gene em uma espécie de cruzeiro de férias exuberante em algum lugar. Não sei mais nada sobre isso além disso.

Alguns Trekkies também podem dizer que a pós-produção de “The Motion Picture” foi uma bagunça, com o supervisor de efeitos original, Robert Abel, demitido depois de desperdiçar um ano e milhões de dólares em tomadas inutilizáveis. Trumbull foi contratado no último minuto, recebeu um orçamento enorme, e começou a fazer alguns dos efeitos mais impressionantes que “Star Trek” já tinha visto. “[I]Na minha experiência”, disse ele, “o filme Star Trek foi a produção mais problemática que já encontrei”.

Até hoje, alguns dos visuais de “Motion Picture” não foram superados por outras entradas da franquia.

Fuente