“Mesquinho e insuficiente.” Foi com estes dois adjetivos que o presidente do Reagrupamento Nacional (ex-Frente Nacional, de extrema-direita), Jordan Bardella, se referiu ao ainda curto mandato do primeiro-ministro, que iniciou funções em janeiro. “Gabriel Attal não propôs mais nada além de uma reforma do seguro de desemprego para resolver o problema da dívida. Nada sobre reservar a assistência social apenas aos cidadãos franceses, nada sobre desbloquear o crescimento”, escreveu Bardella na rede social X na semana passada.

Artigo Exclusivo para subscritores

Subscreva já por apenas 1,73€ por semana.

Já é Subscritor?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para continuar a ler

Fuente