A Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO) celebra nesta quinta-feira o seu 75.º aniversário, numa altura em que uma parte dos seus membros está plenamente comprometida com o esforço de guerra ucraniano, na defesa contra a Rússia, tanto ao nível de material militar quanto financeiro. Mas o que nos esperam os próximos tempos? Ao PÚBLICO, numa entrevista por e-mailThibault Muzergues, especialista em política europeia, autor de livros como Guerra na Europa? De Uma Guerra Impossível à Paz Improvável ou Pós-populismo. A Nova Vaga Que Vai Abalar o Ocidenteexplica que os acontecimentos no Leste da Europa são cruciais para a NATO. “Para a Rússia, Kiev é apenas um trampolim e não um fim em si mesmo”, justifica.

Fuente