O retrato dos abusos sexuais sobre crianças no país, em todos os sectores da sociedade e não apenas na Igreja, que a ex-ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, incumbiu a Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Protecção das Crianças e Jovens (CNPDPCJ) de coordenar, no início de 2023, poderá ser conhecido até ao fim de 2024, diz, com cautela, a presidente da CNPDPCJ, Rosário Farmhouse, repetindo o que já deixara entender há quase dois meses.

Fuente