No quarto trimestre de 2023, os preços da habitação, medidos pelo Índice de Preços da Habitação, caíram 1,1% na zona euro e aumentaram 0,2% na União Europeia (UE), face ao mesmo trimestre de 2022, segundo os dados divulgados esta quinta-feira pelo Eurostat. Portugal registou a quinta maior subida, com um aumento de 7,8% em termos homólogos.

Entre os Estados-Membros para os quais existem dados disponíveis, oito apresentaram uma diminuição homóloga dos preços da habitação no quarto trimestre de 2023, mas 18 registaram uma subida. As maiores quedas foram registadas no Luxemburgo (-14,4%) , Alemanha (-7,1%) e Finlândia (-4,4%), enquanto os maiores aumentos foram registados na Polónia (13%), Bulgária (10,1%) e Croácia (9,5%).

Em comparação com o terceiro trimestre de 2023, os preços da habitação caíram 0,7% na zona euro e 0,3% na UE.

Na variação em cadeia, os preços diminuíram em 11 países, estabilizaram em Itália e aumentaram em 14. As maiores quedas foram registadas em França (-2,7%), Letónia (-2,5%) e na Dinamarca e Suécia (ambas -2,3%), enquanto os maiores aumentos foram registados na Polónia (4,8%), Croácia (3,4%) e Irlanda (3%).

Em Portugal, face ao terceiro trimestre de 2023, os preços das casas subiram 1,3% no último trimestre, ficando o país a ‘meio da tabela’ neste caso (a 12ª maior subida de preços).

Rendas aumentam mais que o preço das casas no final do ano

Se os preços das casas desceram 0,3% em cadeia na UE, o mesmo não se pode dizer das rendas, que subiram 0,6% no bloco europeu. Mesmo a nível homólogo o aumento das rendas foi superior ao do preço das casas (3%, face a 0,2%).

E o Eurostat faz uma retrospetiva, recuando quase década e meia. “Os preços e as rendas da habitação na UE seguiram um padrão semelhante entre 2010 e o segundo trimestre de 2011, mas estão agora a evoluir de forma diferente. Embora as rendas tenham aumentado de forma constante desde então até ao segundo trimestre de 2023, os preços das casas seguiram um padrão diferente, incluindo descidas e aumentos mais rápidos”, indica o Eurostat.

Entre 2010 e o quarto trimestre de 2023, os preços das casas aumentaram 48% e as rendas 23% na UE.

Ao comparar o quarto trimestre de 2023 com 2010, entre os Estados-membros para os quais existem dados disponíveis, os preços das casas aumentaram mais do que as rendas em 19 países do bloco. Os preços das casas mais do que duplicaram na Estónia (217%), Hungria (185%), Lituânia (162%), Letónia (135%), Chéquia (123%), Áustria (111%) e Luxemburgo (+102%) e apenas foram observadas quedas em em Itália (-8%) e no Chipre (-3%).

Em Portugal os preços das casas nesse período quase que duplicaram, mas a variação não chega aos 100%. É a oitava maior subida, logo a seguir ao Luxemburgo.

Por sua vez, as rendas aumentaram em 26 países da UE, com os maiores aumentos na Estónia (207%), Lituânia (172%) e Irlanda (102%). A única diminuição dos preços das rendas foi registada na Grécia (-19%).

Fuente