O maior terremoto ocorrido em Taiwan em pelo menos 25 anos provavelmente restringirá o fornecimento de componentes eletrônicos, como telas e chips, segundo analistas, à medida que fabricantes na ilha tentam restaurar operações de instalações afetadas.

Terremoto de magnitude 7,2 atingiu a costa leste de Taiwan, perto do condado de Hualien, na manhã de quarta-feira, matando nove pessoas e ferindo mais de 1.000.

A ilha desempenha um papel de grande importância na cadeia global de fornecimento de chips, pois abriga a maior fabricante de microprocessadores do mundo, a Taiwan Semiconductor Manufacturing Co, que fornece chips para empresas como a Apple.

O país também abriga fabricantes de chips menores, incluindo UMC, Vanguard International Semiconductor e Powerchip Semiconductor Manufacturing.

Os fabricantes de Taiwan têm reforçado suas fábricas contra terremotos há décadas e muitos usam sistemas de desligamento automático para minimizar os danos à produção e às ferramentas, disseram analistas.

“Para muitas das ferramentas que entram em desligamento automático, pode levar no máximo 36 ou 48 horas para trazê-las de volta e requalificá-las”, disse Dan Hutcheson, vice-presidente da empresa de pesquisa canadense TechInsights.

“Quando você analisa o lado comercial da questão – isso afetará as receitas trimestrais? – as chances são de que não. Mas vai ser uma verdadeira dor de cabeça para todos os envolvidos colocar esse material de volta em funcionamento.”

Embora a maioria de suas instalações não esteja próxima ao epicentro do terremoto, muitas das empresas disseram que esvaziaram algumas de suas fábricas e fecharam algumas instalações para inspeções.

A TSMC disse na quarta-feira que o trabalho em seus locais de produção será retomado após as inspeções, enquanto as instalações afetadas devem reiniciar a produção durante a noite.

A companhia disse que a recuperação geral das ferramentas de suas instalações de fabricação de chips atingiu mais de 70% dez horas após o terremoto, com novas fábricas atingindo mais de 80%.

A Nvidia, cujos chips de inteligência artificial são fabricados pela TSMC, disse que consultou seus parceiros de produção e que a empresa não espera interrupções na cadeia de suprimentos devido ao terremoto.

A TSMC, cujas instalações em Hsinchu, Tainan e Taichung sofreram vários graus de interrupções, pode ter que atrasar algumas remessas e aumentar o ritmo de produção para compensar isso, disse a consultoria Isaiah Research.

“A mitigação dos impactos do terremoto requer medidas cuidadosas e tempo para restaurar a produção e manter os padrões de qualidade, apresentando implicações e obstáculos adicionais”, disseram eles.

As operações da TSMC em Tainan de processos avançados, como 4/5nm e 3nm, foram temporariamente suspensas, disseram eles. Além disso, o equipamento de litografia ultravioleta extrema (EUV), crucial para esses processos, foi paralisado no local por um período de 8 a 15 horas.

Os analistas do Barclays disseram que algumas fábricas de semicondutores altamente sofisticadas precisam operar ininterruptamente 24 horas por dia, 7 dias por semana, em um estado de vácuo, por várias semanas, e as paradas interromperiam o processo, aumentando a pressão sobre os preços no setor.

Isso poderia se espalhar e causar um “soluço de curto prazo” na fabricação de produtos eletrônicos, disseram eles.

O relatório observou que os níveis mais baixos de estoque entre os clientes poderiam permitir que os fabricantes de chips taiwaneses e coreanos aumentem os preços.

A empresa de pesquisa TrendForce espera que as remessas de telas para aparelhos de televisão também sejam afetadas, uma vez que os fabricantes já estão operando com capacidade quase total em todo o mundo para atender uma demanda sólida e que o terremoto provavelmente reduzirá os suprimentos.

A TrendForce disse que os preços das telas devem continuar subindo em abril, mas o efeito de longo prazo do terremoto seria limitado, a menos que os fabricantes de painéis de Taiwan sejam forçados a suspender as operações por mais de uma semana.

Fuente