O líder nacional do PSD, Luis Montenegro, manifestou hoje apoio ao presidente dos sociais-democratas madeirenses, Miguel Albuquerque, e defendeu uma “relação de cooperação estratégica muito estreia” com os governos das regiões autónomas.

“Nesta ocasião quero expressar ao Miguel Albuquerque, em nome do PSD nacional, toda a sorte e todo o espírito de cooperação para todos estes desafios” eleitorais que o partido vai enfrentar na Madeira, declarou Luis Montenegro numa mensagem em vídeo enviada para o 19.º congresso do PSD/Madeira que decorre este fim de semana no Funchal.

O também primeiro-ministro, que não participa nesta reunião magna do PSD/Madeira porque tem viagem a Cabo Verde, considerou que os recém-eleitos do PSD madeirense têm, nos próximos dois anos, um “trabalho político” que “vai ser intenso”, começando com as eleições regionais, depois as europeias e no próximo ano as autarquias.

“São todos desafios enormes aos quais se junta naturalmente o apoio e a colaboração entre a Região Autónoma da Madeira e o Governo da República”, acrescentou.

Luis Montenegro desejou que “a Madeira continue a ser um farol de orientação daquilo que são as políticas do PSD, as políticas social-democratas que transformam a vida das pessoas, garantem uma verdadeira igualdade de oportunidades, que promovem o crescimento da economia como a forma, como o pressuposto para podermos ter mais justiça social”.

Nesta mensagem gravada, também “em nome do Governo”, assegurou que estará “ao lado da Região Autónoma da Madeira, como também dos Açores, no aprofundamento das autonomias regionais que tem sido um caminho percorrido em várias circunstâncias”.

Ainda destacou o “empenho” para haver “uma relação de cooperação estratégica muito estreita em poder garantir, que é muitas vezes delegando nos órgãos de governo das regiões autónomas que servimos melhor os interesses do país e das pessoas que residem, trabalham ou visitam as regiões autónomas”.

Luis Montenegro considerou existirem “muitos exemplos daquilo que são avanços no aprofundamento das autonomias”.

“Vamos continuar a fazê-lo do ponto de vista legislativo, do ponto e vista constitucional – quando houver essa oportunidade — mas, sobretudo agora, do ponto de vista da relação entre os governos da República e governos das regiões autónomas”, reforçou.

Segundo o líder nacional, “há todas as razões para que a Região Autónoma da Madeira, os madeirenses e porto-santenses continuem a confiar naquele que foi sempre o motor do desenvolvimento da região, o PSD”.

“Não há dúvida nenhuma que não estamos em tempo de aventuras, não estamos em tempo de mudar aquilo que é uma trajetória de prosperidade, uma trajetória de maior justiça social, uma trajetória de igualdade de oportunidades”, defendeu.

A estrutura nacional do PSD vai estar representada neste congresso regional pelo secretário-geral, Hugo Soares, domingo, na sessão de encerramento.

Outra ausência nesta reunião magna é o Alberto João Jardim, que liderou o PSD/Madeira durante quase quatro décadas, que está nos Açores onde participou numa sessão comemorativa dos 50 anos do 25 de Abril.

Fuente