As autoridades de Tenerife irão impor taxas de água mais elevadas aos hotéis e alojamentos de férias, à medida que enfrentam condições de seca severa.

As autoridades estão a dar prioridade ao abastecimento de água aos residentes e agricultores em detrimento dos turistas, numa medida que poderá provocar a ira das empresas que dependem do turismo.

O governo de Tenerife declarou uma emergência de seca no início de Março, após um dos Invernos mais secos de que há registo.

Especialistas dizem que a ilha enfrenta meses e possivelmente anos de escassez crítica de água.

Apesar de ser uma das Ilhas Canárias mais verdes, sofreu uma grave falta de chuva naqueles que deveriam ser os meses de inverno mais chuvosos – especialmente nas zonas do norte.

Nos últimos anos, a precipitação também diminuiu entre 15 e 40 por cento.

Ao mesmo tempo, a evaporação da água aumentou entre 10 e 25 por cento nas regiões centrais agrícolas da ilha devido às temperaturas mais elevadas.

Em janeiro deste ano, houve temperaturas médias de 20,9°C, tornando-se o clima mais quente que os ilhéus já viram em 60 anos.

As condições extremas forçaram o governo a introduzir 75 medidas destinadas a mitigar os efeitos da seca e a gerir melhor os recursos escassos.

Como parte dessas medidas, os proprietários de hotéis e alojamentos de férias terão de pagar mais pelo seu abastecimento de água – custos adicionais que serão repassados ​​aos turistas.

A presidente de Tenerife, Rosa Dávila, afirmou: “Nesta situação não pode ser que os campos de golfe paguem pela água o mesmo preço que os agricultores e criadores de gado”.

“Estamos fazendo isso para evitar problemas de abastecimento de água nos próximos quatro anos”, acrescentou.

“Esta declaração de emergência inclui várias medidas: investimentos económicos substanciais, melhorias nas infra-estruturas e um roteiro que dá prioridade aos serviços para a população e para o sector primário.”

As medidas serão introduzidas por um período inicial de 180 dias, mas podem ser prorrogadas por mais seis meses.

Blanca Pérez, Ministra do Meio Ambiente Natural, disse que o turismo é responsável por cerca de 10% do consumo de água.

“Devemos fazer um esforço para garantir que a nossa principal indústria económica tenha a água de que necessita, mas pague o preço adequado”, disse ela.

Fuente