A Microsoft lançará seus chips Cobalt 100 personalizados para os clientes como uma prévia pública em sua conferência Build na próxima semana, descobriu o TechCrunch.

Em um briefing de analista antes do Build, Scott Guthrie, vice-presidente executivo do grupo Microsoft Cloud e AI da Microsoft, comparou diretamente o Cobalt aos chips Graviton da AWS, que estão disponíveis para desenvolvedores há alguns anos. Guthrie disse que os chips da Microsoft oferecerão desempenho 40% melhor em relação a outros chips ARM do mercado. Adobe, Snowflake e outras já começaram a usar os novos chips.

A Microsoft anunciou pela primeira vez seus chips Cobalt em novembro passado. Esses chips de 64 bits são baseados na arquitetura Arm e possuem 128 núcleos.

Além dos chips Cobalt, a Microsft também disponibilizará os aceleradores MI300X da AMD para clientes Azure na próxima semana. Apesar de ser um grande fabricante de GPU, a AMD há muito tempo atrás da Nvidia no espaço de IA, mas como os grandes provedores de nuvem procuram encontrar alternativas aos chips caros da Nvidia – e como a AMD começou a ganhar algum terreno neste espaço, oferecendo melhor suporte de software – esses novos chips também são agora uma mercadoria em alta.

Guthrie a descreveu como a “GPU com melhor custo-benefício disponível no momento para Azure OpenAI”.

Entre as outras notícias que aprendemos está que a Microsoft reduzirá seus preços para acessar e executar grandes modelos de linguagem no Build na próxima semana. No entanto, como exatamente isso será, ainda não está claro.

A Microsoft também entrará em pré-visualização com um novo “sistema de inteligência em tempo real” que permitirá o streaming de dados em tempo real para o Fabric, o sistema de análise de dados da Microsoft. Este sistema oferecerá integração nativa com Kafka, mas também suporte para AWS Kinesis e Google Cloud. Pub/Sub sistemas de streaming de dados.

A Microsoft também anunciará uma parceria com a Snowflake. O Fabric agora oferecerá suporte ao formato Iceberg do Snowflake (além do Parquet do Databrick), que permitirá “interoperabilidade perfeita com o Snowflake e permitirá que quaisquer dados que estejam no Snowflake apareçam no Fabric e vice-versa”.

E para vocês, fãs do Copilot: a Microsoft planeja lançar um novo recurso que permitirá aos desenvolvedores gerenciar seus recursos do Azure diretamente do Copilot, usando linguagem natural. “Isso permitirá um ciclo de desenvolvimento ainda mais restrito com linguagem natural em toda a sua pilha de desenvolvimento e no Azure”, disse Guthrie. Esse sistema é construído sobre um mecanismo de extensibilidade comum, de modo que outros provedores também poderão conectá-lo e oferecer recursos semelhantes.

Fuente