Home Entretenimento Cientistas chineses criam vírus Ebola em laboratório que causa sintomas horríveis

Cientistas chineses criam vírus Ebola em laboratório que causa sintomas horríveis

43
0

O vírus sintetizado em laboratório matou hamsters, disseram os pesquisadores.

Cientistas na China desenvolveram um vírus usando partes do mortal Ebola para estudar a doença e seus sintomas. Um estudo detalhando o experimento na Universidade Médica de Hebei foi publicado em Ciência Direta. Os pesquisadores observaram no estudo que injetaram o vírus letal em um grupo de hamsters e eles morreram em três dias. Os hamsters desenvolveram “doenças sistêmicas graves semelhantes às observadas em pacientes humanos com Ebola, incluindo falência de múltiplos órgãos”, afirmaram ainda no estudo.

Para o estudo, a equipe de pesquisadores chineses utilizou uma doença contagiosa do gado e adicionou uma proteína encontrada no Ebola, que permite que o vírus infecte as células e se espalhe por todo o corpo humano.

Após a injeção, alguns hamsters desenvolveram secreções nos globos oculares, que prejudicaram a visão e cobriram a superfície dos globos oculares.

“É um sinal de que hamsters sírios de 3 semanas de idade infectados com o vírus têm a possibilidade de desempenhar um papel no estudo de distúrbios do nervo óptico causados ​​pela EVD”, afirmou. pesquisadores disseram.

Em meio a preocupações sobre o suposto vazamento laboratorial do coronavírus que causou a última pandemia, os pesquisadores disseram que seu objetivo era encontrar os modelos animais certos que pudessem imitar com segurança os sintomas do Ebola em laboratório.

Um vírus como o Ébola necessita de instalações extremamente seguras com Nível de Biossegurança 4 (BSL-4). A maioria dos laboratórios ao redor do mundo são BSL-2.

Como solução alternativa, os cientistas chineses usaram um vírus diferente chamado vírus da estomatite vesicular (VSV), que eles desenvolveram para transportar parte do vírus Ebola – chamada glicoproteína (GP) – que desempenha um papel crucial em ajudar o vírus a entrar e infectar células de seu país. hospedar.

Os sujeitos do estudo incluíram cinco hamsters fêmeas e cinco machos.

Quando colheram os órgãos do animal morto, descobriram que o vírus havia se acumulado no coração, fígado, baço, pulmão, rim, estômago, intestinos e tecidos cerebrais.

Concluindo que o estudo foi um sucesso, os investigadores observaram que a experiência proporcionou uma avaliação pré-clínica rápida de contramedidas médicas contra o Ébola sob condições BLS-2, concluindo que o estudo foi um sucesso.

A última vez que uma grande infecção por Ebola foi relatada no mundo foi entre 2014 e 2016, em vários países da África Ocidental, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Esperando por resposta para carregar…

Fuente

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here