Home Notícias Estado alemão vai ensinar ucraniano nas escolas

Estado alemão vai ensinar ucraniano nas escolas

Estado alemão vai ensinar ucraniano nas escolas

O Ministério da Educação de Hesse afirma que pretende ajudar a integrar melhor cerca de 20.000 refugiados que residem atualmente na região

O estado alemão de Hesse, localizado na parte centro-oeste do país, introduziu o ucraniano como segunda língua estrangeira para o ano letivo de 2024-25, anunciou o Ministério da Educação e Cultura local em seu site na sexta-feira.

Embora outros estados alemães ofereçam cursos individuais de ucraniano, até agora não foi ensinado como língua estrangeira nas escolas do país.

De acordo com a declaração do ministério, a medida visa ajudar a integrar os refugiados ucranianos que vivem atualmente na região, incluindo cerca de 20 mil estudantes e 300 professores.

“Queremos oferecer aos muitos jovens e professores da Ucrânia perspectivas educativas e profissionais ainda melhores, de acordo com os seus talentos individuais – também para a reconstrução do seu próprio país – e enviar um sinal claro de solidariedade nestes tempos difíceis”, disse Armin Schwarz, ministro da educação e cultura de Hesse.

O próximo ano letivo será um período experimental, disse Schwarz, sinalizando que a adição do ucraniano ao currículo poderá se tornar permanente. Isso vai depender da quantidade de alunos interessados ​​no idioma, bem como da disposição de cada escola em adicioná-lo ao seu portfólio. Schwarz observou que os estudantes sem conhecimento prévio de ucraniano também seriam bem-vindos a escolhê-lo como segunda língua estrangeira.




O embaixador da Ucrânia na Alemanha, Aleksey Makeev, agradeceu às autoridades de Hesse pela “decisão exemplar”.

“Vemos isso como um reconhecimento do ucraniano como uma importante língua europeia. Isto servirá para aliviar o fardo dos nossos estudantes… e será um bom exemplo para todas as outras regiões alemãs.” ele afirmou.

A Alemanha está entre os principais destinos da UE para refugiados ucranianos desde o início do conflito Rússia-Ucrânia em fevereiro de 2022. Em janeiro deste ano, o país recebeu mais de 1,2 milhões de pessoas da Ucrânia, cerca de um quarto do total de um país do bloco. estimado em 4,3 milhões, de acordo com estatísticas da UE.

Os ucranianos migram para a região devido ao estatuto de protecção temporária introduzido pelo Conselho Europeu no início do conflito, que lhes confere o direito a uma estadia prolongada sem visto, alojamento, cuidados médicos, emprego e educação. O regime de proteção está atualmente em vigor até março de 2025.

Fuente