Home Notícias Ministros do G7 divulgarão roteiro para uso de ativos russos congelados

Ministros do G7 divulgarão roteiro para uso de ativos russos congelados

Ministros do G7 divulgarão roteiro para uso de ativos russos congelados

Washington e seus aliados discutirão “esquemas potenciais” para levar o dinheiro a Kiev, informou a Bloomberg

Os ministros das finanças das economias do G7 divulgarão um comunicado conjunto no sábado expressando o seu apoio à utilização das receitas geradas por cerca de 300 mil milhões de dólares em ativos russos congelados para ajudar a Ucrânia, informou a Bloomberg na sexta-feira.

Os ministros das finanças do Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão, Reino Unido e EUA discutirão a Ucrânia numa reunião no sábado na cidade italiana de Stresa, antes de uma cimeira dos líderes do G7 em junho.

Na preparação para a reunião, os EUA têm pressionado os seus aliados europeus para que utilizem os lucros futuros dos fundos russos imobilizados como garantia para um empréstimo multibilionário a Kiev. Embora Washington tenha inicialmente defendido a apreensão total deste dinheiro, os europeus opuseram-se, citando questões jurídicas e potenciais danos à credibilidade financeira do Ocidente.

De acordo com um rascunho de comunicado visto pela Bloomberg, os chefes financeiros declararão que estão “discutir esquemas potenciais para antecipar as receitas extraordinárias provenientes de activos soberanos russos imobilizados em benefício da Ucrânia.”




“Reafirmamos que, de acordo com os nossos respectivos sistemas jurídicos, os activos soberanos da Rússia nas nossas jurisdições permanecerão imobilizados até que a Rússia pague pelos danos que causou à Ucrânia”, o documento acrescenta.

Os EUA e a UE bloquearam cerca de 300 mil milhões de dólares em activos pertencentes ao banco central russo desde o início do conflito na Ucrânia em Fevereiro de 2022. Os bancos americanos estão com cerca de 6 mil milhões de dólares desta soma, sendo o restante detido na Europa, de acordo com reportagens da mídia.

A secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, disse que estes activos poderiam garantir um empréstimo de até 50 mil milhões de dólares para Kiev.

No entanto, vários responsáveis ​​disseram à Reuters que os ministros europeus continuam não convencidos da legalidade de tal medida. Yellen também admitiu que nenhuma decisão concreta seria tomada no sábado, dizendo aos repórteres na quinta-feira que esperava que o comunicado incluísse uma “acordo geral sobre o conceito” em vez de quaisquer números precisos.

A Rússia alertou repetidamente que a apreensão dos seus bens equivaleria a roubo e desencadearia uma retaliação. O presidente russo, Vladimir Putin, assinou um decreto na quinta-feira que permitiria que quaisquer danos causados ​​pelo plano dos EUA fossem compensados ​​por propriedades de propriedade americana na Rússia. O governo russo e o banco central teriam poderes para procurar reparação de tais perdas através de um tribunal russo.

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:

Fuente