Home Notícias Sentimento antiturístico ‘perigoso’, já que Ibiza se torna a última ilha a...

Sentimento antiturístico ‘perigoso’, já que Ibiza se torna a última ilha a protestar contra a superlotação

Sentimento antiturístico ‘perigoso’, já que Ibiza se torna a última ilha a protestar contra a superlotação

O sentimento anti-turístico pode tornar-se “perigoso” à medida que se espalha por Espanha, alertou um especialista, à medida que os habitantes de Ibiza se juntam ao crescente coro de pessoas fartas de as suas casas serem invadidas.

Os manifestantes pediram repressão aos turistas que visitam a estância balnear espanhola, popular entre os britânicos que procuram uma pausa para tomar sol a bordo.

Os ativistas alegaram que a superlotação forçou os trabalhadores da ilha a “viverem” em quartos de até seis pessoas e que os residentes agora viajam em caravanas devido ao aumento vertiginoso dos preços dos imóveis.

Os protestos ecoam os de outros pontos turísticos espanhóis, incluindo as Ilhas Baleares e Canárias, uma das quais é Tenerife, a comunidade agora repleta de pichações “turistas vão para casa”.

As operadoras aéreas disseram que o aumento do ativismo é um “perigo” para algumas dessas áreas, com suas reputações sendo agora colocadas em risco.

Steve Heapy, CEO da Jet2 e Jet2 Holidays, alertou na terça-feira que a Espanha corre o risco “de um sentimento antiturista”.

Falando num fórum organizado pela publicação de turismo espanhola Hosteltur, o CEO acrescentou que se forem autorizados a continuar e as licenças de férias ilegais não forem resolvidas, os turistas “irão embora”.

Ele disse: “A Espanha corre o risco de um sentimento antiturístico que pode afetar a sua reputação a longo prazo”.

Heapy acrescentou: “Se for dada a impressão de que os turistas não são desejados, eles irão embora”.

Outros participantes do fórum emitiram avisos semelhantes e dirigiram palavras mais duras às autoridades locais que, segundo eles, não conseguiram lidar com a superlotação.

Ramón Aragonés, CEO da Minor Hotels Europe & Americas, disse que a questão era um “flagelo” e alertou que seria “difícil reverter a reputação do setor” em Espanha.

Disse que o país está agora “associado à sobrelotação” e acrescentou que a actual procura do sector “não é sustentável ao longo do tempo”.

Os habitantes de Ibiza que lideram a campanha contra a sobrelotação disseram que não são contra os turistas, mas sim que procuram reformas na indústria, nomeadamente lidar com a questão do aluguer ilegal.

A activista Xaquelina Perry, nascida em Wolverhampton, que vive em Ibiza há 40 anos, disse ao i que o seu grupo quer “mudar o modelo de turismo”.

Ela disse: “Queremos que parem com o arrendamento ilegal, que obriga os trabalhadores a viver em caravanas e tendas”.

Fuente