Home Notícias Os bombardeiros de Putin violam o espaço aéreo da OTAN ao colocar...

Os bombardeiros de Putin violam o espaço aéreo da OTAN ao colocar mísseis nucleares em alerta máximo

31
0

A Finlândia revelou que um dos bombardeiros de Vladimir Putin entrou no seu espaço aéreo pela primeira vez desde que o país aderiu à NATO em 2023.

O Ministério da Defesa do país disse que a aeronave passou cerca de dois minutos a 2,5 km (1,5 m) dentro de seu espaço aéreo na manhã de segunda-feira, enquanto as tensões entre a OTAN e a Rússia continuavam a aumentar.

O ataque ocorreu horas depois de os militares ucranianos desferirem um golpe substancial na força aérea de Putin, danificando um caça russo de £ 28 milhões usando drones, zombando das defesas aéreas da Rússia no processo.

Segundo relatos, acredita-se que um caça Su-57 de última geração em uma base aérea no interior da Rússia tenha sido danificado. A aeronave estava localizada em um campo de aviação em Akhtubinsk, na província de Astrakhan.

O ataque foi supostamente confirmado por um blogueiro militar russo conhecido como ‘Flightbomber’. Eles escreveram: “Ontem o campo de aviação em Akhtubinsk foi atacado por 3 UAVs.

“O Su-57 foi danificado por estilhaços; agora está sendo determinado se ele pode ser restaurado ou não. Caso contrário, esta será a primeira perda em combate do Su-57 na história.”

Além de abrigar os SU-57, a base atingida pelos drones também é sede de um dos bombardeiros de ataque mais mortíferos da Rússia, o Tu-22M3 e os jatos MiG 31-K.

Apesar do golpe da Ucrânia contra a capacidade da Rússia de utilizar um dos seus meios aéreos, a guerra ainda está longe de terminar. Além do mais, a ameaça de uma guerra entre a Rússia e a NATO continua a ser uma possibilidade, enquanto a primeira se prepara para exercícios com a aliada Bielorrússia.

RIA News informou na rede social Telegram que a Bielorrússia e a Rússia anunciaram o início da segunda fase do treinamento nuclear não estratégico.

Disseram que a medida foi anunciada pelo Ministério da Defesa russo e que durante os exercícios os dois países treinariam unidades no uso de munições estratégicas não nucleares.

Os novos exercícios envolverão pessoal das forças armadas dos dois países, incluindo o exército e a força aérea. Ainda não se sabe quantas tropas estes exercícios envolverão.

Com a incerteza sobre quantas tropas a Rússia contribuirá para os exercícios, existem preocupações adicionais sobre uma nova onda de deserção que se acredita estar a varrer as forças de Putin.

Os relatórios sugerem que um folheto informativo foi produzido por funcionários russos e partilhado entre o pessoal do exército, lembrando-os de casos movidos contra soldados do regimento de espingardas motorizadas 1195.

Acredita-se que mais de 110 soldados foram levados a tribunal por não terem regressado da licença militar e foram condenados a pena de prisão ou aguardam julgamento.

Os acusados ​​estão a ser acusados ​​ao abrigo do artigo 337.º do código penal russo e poderão passar 10 anos de prisão se forem considerados culpados.

A agência de inteligência da Ucrânia afirmou ainda no mês passado que quase 18 mil soldados fugiram do Distrito Militar do Sul.

Fuente

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here