Home Mundo Putin convoca maior aliado para intensificar exercícios nucleares em meio a “ameaças”...

Putin convoca maior aliado para intensificar exercícios nucleares em meio a “ameaças” ocidentais

31
0

Bielorrússia e Rússia iniciaram exercícios conjuntos com armas nucleares (Foto: PA)

Vladimir Putin está a convocar o seu maior aliado para intensificar os exercícios nucleares no meio de “declarações e ameaças provocativas” do Ocidente contra a Rússia.

A Bielorrússia e a Rússia iniciaram práticas conjuntas de lançamento de armas nucleares não estratégicas.

Os exercícios começaram em 21 de maio no Distrito Militar do Sul da Rússia, em meio a mais apoio financeiro da OTAN à Ucrânia.

Desde o ano passado, o Kremlin tem utilizado a Bielorrússia como palco para preparar as suas armas nucleares, uma medida que tem preocupado os líderes ocidentais.

Em 2023, o presidente bielorrusso, Aleksandr Lukashenko, anunciou que os primeiros “mísseis e bombas” haviam chegado ao país pela televisão estatal russa.

Quando o apresentador lhe pediu para confirmar se a Bielorrússia tinha recebido armas mais cedo do que o esperado, ele respondeu: ‘Nem todas. Gradualmente.’

Militares russos marcham na Praça Vermelha durante o desfile militar do Dia da Vitória no centro de Moscou, em 9 de maio de 2024. A Rússia comemora o 79º aniversário da vitória sobre a Alemanha nazista na Segunda Guerra Mundial.  (Foto de Alexander NEMENOV/AFP) (Foto de ALEXANDER NEMENOV/AFP via Getty Images)

As forças russas estão envolvidas (Foto: AFP)

As armas nucleares táticas incluem bombas aéreas, ogivas para mísseis de curto alcance e munições de artilharia e destinam-se ao uso no campo de batalha.

Falando aos jornalistas na terça-feira, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que tais exercícios e a manutenção da prontidão para o combate são importantes tendo em conta as “decisões e ações hostis” dos EUA e dos seus aliados na Europa e as suas “provocações diárias”.

Ele sublinhou que o exercício visa manter a prontidão do pessoal e do equipamento para garantir a “soberania e integridade territorial” da aliança da Rússia e da Bielorrússia.

A primeira etapa do exercício no mês passado previa a preparação para missões nucleares e o envio de lançamentos, segundo o Ministério da Defesa.

Lukashenko deu as boas-vindas às armas em seu país (Foto: Getty)

Os militares russos treinaram separadamente durante a fase inicial das manobras, antes dos exercícios conjuntos com as forças bielorrussas.

Desde que invadiu a Ucrânia, Putin alertou repetidamente que a Rússia estaria pronta para usar armas nucleares, se necessário, para defender a sua “integridade territorial”.

Falando em Minsk no ano passado, o antigo ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu, disse: “No contexto de uma escalada extremamente acentuada de ameaças nas fronteiras ocidentais da Rússia e da Bielorrússia, foi tomada a decisão de tomar contramedidas na esfera militar-nuclear”.

Mísseis Iskander-M, que podem transportar ogivas convencionais ou nucleares, foram entregues às forças armadas bielorrussas e algumas aeronaves Su-25 foram convertidas para o possível uso de armas nucleares.

Entre em contato com nossa equipe de notícias enviando um e-mail para webnews@metro.co.uk.

Para mais histórias como esta, confira nossa página de notícias.

MAIS: O caça a jato de £ 40 milhões de Putin cai após ‘mau funcionamento técnico’

MAIS: Ucrânia ‘confirma o primeiro ataque’ ao premiado caça a jato de £ 28 milhões de Putin

MAIS: Putin é ‘um salvador enviado por Deus para impedir a 3ª Guerra Mundial’, diz fã da guerra nuclear

política de Privacidade e Termos de serviço aplicar.



Fuente

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here