Home Notícias Rover da NASA é atingido por tempestade solar em Marte e captura...

Rover da NASA é atingido por tempestade solar em Marte e captura imagens

27
0

Marte acaba de receber uma explosão de radiação.

O Sol está no auge do seu ciclo solar de 11 anos, o que significa que é mais provável que emita rajadas de energia e partículas para o espaço. As recentes tempestades solares alimentaram uma aurora gloriosa na Terra e, em 20 de maio, a classe mais forte de explosão solar – uma explosão de luz (luz visível, raios X e muito mais) do Sol – atingiu o Planeta Vermelho. Logo depois, outro tipo de explosão solar chamada ejeção de massa coronal – uma explosão de partículas energéticas da superfície do Sol – atingiu Marte.

Essas partículas atingiram a superfície marciana, e o Curiosity Rover da NASA capturou o efeito, que você pode assistir abaixo.

“Durante o evento de 20 de maio, tanta energia da tempestade atingiu a superfície que as imagens em preto e branco das câmeras de navegação do Curiosity dançaram com a ‘neve’ – listras e manchas brancas causadas por partículas carregadas que atingiram as câmeras”, explicou a agência espacial. em um declaração.

VEJA TAMBÉM:

Cientista da NASA viu as primeiras imagens da Voyager. O que ele viu lhe deu arrepios.

Ao contrário da Terra, que possui um campo magnético que retém partículas energéticas na alta atmosfera, protegendo a superfície (e a nós) dessa radiação, Marte perdeu o seu campo magnético protetor há muito tempo. Portanto, estas partículas carregadas podem impactar o solo marciano.

Velocidade da luz mashável

Esta foi a maior radiação que o Curiosity, que pousou em 2012, já mediu.

“Se os astronautas estivessem próximos ao rover Curiosity Mars da NASA naquele momento, eles teriam recebido uma dose de radiação de 8.100 micrograys – equivalente a 30 radiografias de tórax”, explicou a NASA. Isso não é em si uma quantidade “mortal”, disse a agência, mas certamente algo a que os humanos não gostariam de ser expostos, nem nunca expostos repetidamente.

Mas a NASA tem desejos e projetos realistas para enviar astronautas para Marte já na década de 2030, uma parte ambiciosa do seu programa Artemis (que irá devolver os humanos à Lua pela primeira vez, já em 2026). Se uma enorme explosão de partículas solares atingisse Marte desprotegido, a NASA iria querer que os astronautas procurassem abrigo, de preferência no subsolo, numa caverna, poço ou tubo de lava marciano.

“Penhascos ou tubos de lava forneceriam blindagem adicional para um astronauta de tal evento”, disse Don Hassler, cientista do Southwest Research Institute que lidera o programa Radiation Assessment Detector da Curiosity, em um comunicado. “Na órbita de Marte ou no espaço profundo, a taxa de dose seria significativamente maior.”

Cuidado, futuros marcianos.



Fuente

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here