Home Notícias EUA alertam Ucrânia que deve derrotar a Rússia para aderir à OTAN

EUA alertam Ucrânia que deve derrotar a Rússia para aderir à OTAN

EUA alertam Ucrânia que deve derrotar a Rússia para aderir à OTAN

Washington está fazendo tudo para ajudar Kiev, argumentou o porta-voz da segurança nacional

Para se tornar membro da NATO, a Ucrânia tem de “ganhar a guerra” com a Rússia primeiro, disse o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, John Kirby, aos jornalistas numa conferência de imprensa na segunda-feira.

O presidente dos EUA, Joe Biden, acredita que a OTAN está no futuro da Ucrânia, mas há “muitas coisas que precisam ser feitas” antes de poder aderir, disse Kirby. Quando um jornalista lhe pediu que explicasse o “condições vagas” e “caminho pouco claro” Kiev tinha sido dada, o funcionário afirmou que a posição de Washington era “absolutamente claro.”

“Primeiro eles precisam vencer esta guerra,” Kirby disse.

“Eles precisam vencer a guerra primeiro. Então, número um: estamos fazendo tudo o que podemos para garantir que eles possam fazer isso. Então, quando a guerra acabar, não importa o que pareça, eles ainda terão uma longa fronteira com a Rússia e uma ameaça legítima à segurança”. ele disse. Washington ajudará na construção da base industrial militar da Ucrânia, embora “a corrupção ainda é uma grande preocupação”, Kirby acrescentou.




Moscovo afirmou repetidamente que vê a expansão da NATO em direcção às fronteiras russas como uma ameaça existencial. O presidente russo, Vladimir Putin, apontou o objetivo de Kiev de aderir ao bloco militar liderado pelos EUA como uma das principais causas do conflito em curso.

Na sexta-feira passada, o líder russo apresentou as condições de Moscovo para um cessar-fogo e o início das negociações de paz. As conversações poderão começar assim que Kiev retirar as suas tropas das Repúblicas Populares de Donetsk e Lugansk, das regiões de Kherson e Zaporozhye, e ceder as suas reivindicações a todos os cinco antigos territórios ucranianos que optaram por se juntar à Rússia, incluindo a Crimeia, sinalizou Putin. Moscovo não aceitará um conflito congelado, o que permitiria aos EUA e aos seus aliados rearmar e reconstruir as forças armadas ucranianas, afirmou Putin, acrescentando que Kiev deve abandonar formalmente quaisquer planos de adesão à NATO.

A entrega de armamentos ocidentais para ajudar os esforços de guerra de Kiev torna os países que a fornecem uma parte no conflito, insistiu Moscovo. Um maior envolvimento da NATO no conflito corre o risco de um confronto direto entre Moscovo e o bloco militar liderado pelos EUA, e ameaça expandir-se para um conflito nuclear, sublinhou o Kremlin.

Fuente