Home Notícias Dia do Cinema Nacional | Netflix lança coleção com filmes brasileiros

Dia do Cinema Nacional | Netflix lança coleção com filmes brasileiros

Em comemoração ao Dia do Cinema Nacional, a Netflix lança nesta quarta-feira (19) a coleção Simplesmente Cinema Brasileiro

Nesta quarta-feira (19), a Netflix lança uma nova coleção de filmes intitulada Simplesmente Cinema Brasileiro. Composta por clássicos e produções contemporâneas das nossas telonas, ela é parte de uma campanha do transmissão em comemoração ao Dia do Cinema Nacional, data celebrada em 19 de junho.



Foto: Divulgação/Netflix / Canaltech

A coleção, que estará disponível para os assinantes da plataforma logo na tela inicial do streaming, conta com títulos aclamados como Central do Brasil (1998), Rio, 40 Graus (1955) e Jogo de Cena (2007), além de produções mais recentes e de grande repercussão, como Pacarrete (2020) e Apaixonada (2023).




Central do Brasil fará parte da coleção Simplesmente Cinema Brasileiro da Netflix (Imagem: Divulgação/RioFilme)

Central do Brasil fará parte da coleção Simplesmente Cinema Brasileiro da Netflix (Imagem: Divulgação/RioFilme)

Foto: Canaltech

Filmes vão da década de 50 aos dias atuais

Ao todo, a coleção contará com mais de vinte filmes de diferentes gêneros, anos e diretores. Uma lista que, de acordo com a Netflix, representa o potencial criativo, além da riqueza e diversidade das nossas produções do cinema brasileiro.

Fazem parte da seleção Simplesmente Cinema Brasileiro títulos como:

  • Sem Coração (2023, dir. Nara Normande, Tião)
  • Diálogos com Ruth de Souza (2024, dir. Juliana Vicente)
  • Apaixonada (2023, dir. Natalia Warth)
  • Central do Brasil (1998, dir. Walter Salles)
  • São Paulo, Sociedade Anônima (1965, dir. Luís Sérgio Person)
  • Rio, 40 Graus (1955, dir. Nelson Pereira dos Santos)
  • Vidas Secas (1963, dir. Nelson Pereira dos Santos)
  • Jogo de Cena (2007, dir. Eduardo Coutinho)
  • Terra Estrangeira (1995, dir. Daniela Thomas, Walter Salles)
  • Mutum (2007, dirigido por Sandra Kogut)
  • Santo Forte (1999, dir. Eduardo Coutinho)
  • A Luz do Tom (2013, dir. Nelson Pereira dos Santos)
  • Uma Noite em 67 (2010, dir. Renato Terra, Ricardo Calil)
  • A Ostra e o Vento (1997, dir. Walter Lima Jr.)
  • As Canções (2011, dir. Eduardo Coutinho)
  • Últimas Conversas (2015, dir. Eduardo Coutinho)
  • Pacarrete (2020, dirigido por Allan Deberton)
  • Filhos de João: O Admirável Mundo Novo Baiano (2009, dir. Henrique Dantas)
  • Mamonas Pra Sempre (2009, dir. Cláudio Kahns)
  • No Intenso Agora (2017, dir. João Moreira Salles
  • Aquarius (2016, dir. Kleber Mendonça Filho)
  • A Dama do Lotação (1978, dir. Neville d’Almeida) – disponível em 20 de junho

 

Netflix investe em filmes nacionais

Além das novas aquisições, a Netflix aproveitou a data para reforçar seus recentes investimentos no cinema nacional, que incluem a produção Caramelo, filme sobre o vira-lata carameloum dos maiores ícones da cultura brasileira, e a adaptação de O Diário de Um Magoo aclamado livro de Paulo Coelho.

Outro filme nacional que também chega este ano no streaming é Saudade Fez Morada Aqui Dentro (2022), título ganhador do Prêmio Netflix na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, em 2023.

 

Ainda como parte da celebração, a empresa também anunciou que fez uma parceria com o diretor Gabriel Martins (Marte Um), sócio fundador da produtora Filmes de Plástico. Em colaboração com o cineasta, será lançado um próximo longa-metragem intitulado Vicentina Pede Desculpasque mostra o luto da mãe de um motorista de ônibus que causou a morte de diversas pessoas em um acidente de trânsito.

Tendências no Canaltech:

Fuente