Home Entretenimento Turistas bêbados se comportam como "Tarzan da selva" Na cidade polonesa

Turistas bêbados se comportam como "Tarzan da selva" Na cidade polonesa

Turistas bêbados se comportam como "Tarzan da selva" Na cidade polonesa

Cracóvia tomou medidas para resolver o problema.

Cracóvia:

Tarde da noite, o centro de Cracóvia passa de marco histórico a centro de despedidas de solteiro, visitas a bares e festas selvagens. Agora, fartos da confusão, os habitantes locais descontentes estão a levar a segunda cidade da Polónia a tribunal.

A ação movida este mês, com o apoio de várias dezenas de moradores, acusa as autoridades municipais de não fazerem o suficiente para resolver os distúrbios à ordem pública, incluindo barulho alto e embriaguez excessiva.

“O não cumprimento da lei tornou-se um símbolo do turismo em Cracóvia”, disse à AFP Ryszard Rydiger, o advogado por trás da iniciativa.

Ele comparou a situação a algo visto “em nenhum outro lugar da Europa” e disse que os turistas estavam se comportando como “Tarzan da Selva” sem consequências.

Esta não é a primeira vez que Cracóvia – visitada por impressionantes 9,4 milhões de turistas em 2023, segundo estimativas da cidade – enfrenta desafios colocados pelos seus visitantes mais indisciplinados.

No ano passado, ocorreram 6.800 intervenções policiais no centro da cidade, muitas delas por consumo de álcool e destruição de bens públicos. Dois terços resultaram em multas, segundo o porta-voz da polícia municipal, Marek Aniol.

‘Coração de escuridão’

Embora o processo alegue que os problemas de perturbação pública são endêmicos em toda a Cidade Velha, os moradores citam a Rua Szewska como o epicentro do problema.

“Todos os dias da semana, até as seis da manhã, Szewska se torna um local de reuniões barulhentas”, diz o processo.

“A multidão, sem qualquer restrição ou resposta efetiva das autoridades municipais, canta… grita, briga, vomita… O barulho emitido pela turba bêbada ultrapassa os padrões permitidos por lei”.

A iniciativa foi uma boa jogada, segundo um residente, o promotor do clube Jan, que chamou Szewska de “coração das trevas”.

“A cidade deveria intervir de alguma forma”, disse o jovem de 23 anos à AFP.

Deixando de lado o barulho e a bagunça, Jan disse que a competição entre os clubes por um maior número de visitantes noturnos também resultou em brigas de rua.

Ele contou a história de um amigo que trabalhava como promotor no Szewska, mas teve que pedir demissão devido ao “forte trauma” da violência dos rivais.

Mesmo fora do centro, a devassidão noturna pode representar problemas para os habitantes locais.

“Você não pode andar pacificamente à noite ou à noite”, disse Weronika, uma médica de 25 anos.

“A paz está muito perturbada.”

‘Cidade dos reis poloneses’

Cracóvia tomou medidas para resolver o problema.

O prefeito Aleksander Miszalski anunciou esta semana a nomeação de um funcionário noturno, bem como os planos para um comitê que investigaria a situação e ofereceria soluções.

Em Julho passado, a cidade tornou-se a primeira na Polónia a proibir a venda de bebidas alcoólicas da meia-noite às 5h30, uma medida apoiada por mais de metade dos residentes.

A polícia disse que nos primeiros seis meses, as intervenções caíram pela metade e menos pessoas intoxicadas foram parar em centros de recuperação.

Nos últimos três anos, Cracóvia também empregou “ajudantes da cidade” durante a alta temporada – voluntários noturnos encarregados de fornecer informações aos turistas e chamar a polícia, se necessário.

O município também lançou inúmeras campanhas publicitárias destinadas a alinhar os moradores de fora da cidade e reduzir os distúrbios públicos.

“É claro que precisamos de turistas”, disse Jan. “É só que é preciso haver legislação apropriada para que tenhamos turistas, mas sem barulho, bagunça e porcaria”.

O que começou como uma operação de segurança pública em 2021 evoluiu mais tarde para uma campanha direcionada contra os britânicos, que são conhecidos por se entregarem a despedidas de solteiro em Cracóvia.

Embora os cartazes iniciais espalhados pela cidade exortassem tanto os residentes como os visitantes a respeitarem o espaço dos outros, a terem “bom comportamento” e a “manterem os pertences seguros”, a última campanha foi muito mais contundente.

“Você está na cidade dos reis poloneses”, diziam os cartazes. “Isso merece respeito.”

Rydiger disse que essas “ações vão na direção certa”, mas são “completamente iniciais” em termos de abordagem do problema.

“Durante anos, a política de turismo tem sido ‘venha, venha, venha’, mas não se trata de estabelecer limites claros sobre o que pode e o que não pode ser feito”, disse ele.

(Exceto a manchete, esta história não foi editada pela equipe da NDTV e é publicada a partir de um feed distribuído.)

Esperando por resposta para carregar…

Fuente