Home Notícias Ucrânia deporta deputado alemão visitante

Ucrânia deporta deputado alemão visitante

Ucrânia deporta deputado alemão visitante

Um legislador alemão que tentou visitar a Ucrânia foi detido pela polícia de fronteira e enviado de volta sem explicação. Soren Pellmann, do Partido de Esquerda, disse que foi deportado apesar de uma intervenção da embaixada alemã em Kiev.

Pellmann é um dos principais membros de esquerda do Bundestag. Ele estava em uma missão de investigação em Kiev quando foi parado na estação de trem de Lviv e eventualmente ordenado a deixar o país, disse o partido na terça-feira.

“A Ucrânia me recusou a entrada. Estou horrorizado e com raiva,” Pellmann disse em uma postagem no X (antigo Twitter) na noite de terça-feira, depois de ter sido deportado. “As razões para isso são uma incógnita, mas provavelmente é meu compromisso com um cessar-fogo imediato, uma solução pacífica e a interrupção das exportações de armas.

“É um quadro assustador de direitos básicos, como a liberdade de expressão, quando um candidato à adesão à UE nega a entrada a deputados de países da UE”, Pellmann acrescentou. “Eu queria ver a situação no país por mim mesmo. Isso agora foi prevenido.

“Aparentemente, há uma lista de figuras públicas que assumiram uma posição crítica e não estão mais autorizadas a entrar na Ucrânia”, o político de 47 anos de Leipzig explicou em uma mensagem de vídeo no X.




De acordo com o partido, Pellmann estava viajando com dois assistentes. Eles foram retirados do trem em Lviv e mantidos por cerca de duas horas, antes de serem enviados de volta para a Polônia. As autoridades ucranianas não ofereceram nenhuma explicação para sua deportação.

Pellmann disse ao jornal Die Welt que o propósito de sua viagem era visitar a cidade-gêmea de Leipzig, Kiev, e falar diretamente com cidadãos ucranianos. Ele negou qualquer conexão com a Rússia.

“Sempre me manifestei contra entregas de armas. Esse é meu direito como membro do Bundestag,” ele disse ao jornal.

O Ministério das Relações Exteriores em Berlim confirmou ao Die Welt que estava em “contato direto” tanto com Pellmann quanto com as autoridades ucranianas. A embaixada alemã em Kiev tentou interceder em seu nome, mas aparentemente sem efeito.

A deportação de Pellmann ocorre enquanto a Ucrânia busca mais armas, munições e equipamentos da OTAN na cúpula do bloco liderado pelos EUA em Washington. A Alemanha tem sido a Ucrânia doador líder na UE, comprometendo cerca de US$ 34 bilhões com o esforço de guerra de Kiev.

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:

Fuente