Home Notícias Todos os olhos voltados para a postagem do palestrante no Modi 3.0...

Todos os olhos voltados para a postagem do palestrante no Modi 3.0 com a história do TDP em 1999 em mente

26
0


Em 1999, o governo Atal Bihari Vajpayee entrou em colapso depois de perder uma moção de confiança no Lok Sabha, apesar das garantias de apoio de vários outros líderes partidários. Apenas um voto decidiu o destino do governo Vajpayee e destacou o poder do Orador Lok Sabha. Não foi o voto do presidente da Câmara, mas a sua decisão que levou à queda do governo.

O poder do Presidente da Câmara está de volta às mentes do povo, enquanto os partidos da Aliança Democrática Nacional (NDA) estão de olho no cargo. O Partido Telugu Desam (TDP), o segundo maior constituinte da NDA, procurou o cargo de Presidente da Câmara, segundo relatos.

Aliás, foi o presidente do TDP que se revelou fundamental no colapso do governo Vajpayee em 1999.

O primeiro-ministro Narendra Modi prestou juramento no seu terceiro mandato consecutivo, juntamente com 71 ministros. Portfólios também foram alocados. Se ainda há um suspense, é quem fica com o cargo de Presidente do Lok Sabha.

Para o BJP, que terá de dirigir o governo com o apoio da aliança, o cargo de Presidente torna-se ainda mais crucial.

QUANDO O ALTO-FALANTE DO TDP SE PROVOU FATAL PARA VAJPAYEE GOVT

O BJP conquistou 240 assentos nas eleições de Lok Sabha de 2024 e ficou aquém da marca de 272 na metade do caminho. Isto é muito diferente do primeiro e segundo mandatos do PM Modi, quando o BJP tinha maioria própria no Lok Sabha.

Esta também era a situação em 1999, quando Atal Bihar Vajpayee era o primeiro-ministro, embora a força do BJP fosse muito menor.

O papel do Presidente tornou-se crucial.

Um único voto dado pelo líder do Congresso de Odisha, Giridhar Gamang, levou à queda do governo.

E foi o presidente do Lok Sabha, GMC Balayogi, do Partido Telugu Desam (TDP), quem permitiu que Gamang votasse, apesar de ele ter sido empossado como ministro-chefe de Orissa (agora Odisha) há alguns dias. Se Gamang não tivesse sido autorizado a votar, os ‘sim’ e os ‘neys’ teriam sido iguais.

Os votos finais sobre a moção de confiança foram de 269 a favor do NDA e 270 contra. Uma única votação levou à demissão do governo.

Notavelmente, não foi o voto do Presidente da Câmara que acabou por ser decisivo no colapso do governo, mas a sua decisão e poder discricionário que levaram Vajpayee a tornar-se o primeiro Primeiro-Ministro a perder um voto de confiança no Lok Sabha.

Balayogi do TDP foi nomeado presidente do Lok Sabha em 1998, por insistência de N Chandrababu Naidu.

Vinte e cinco anos depois, há relatos de que O chefe do TDP, Naidu, está mais uma vez buscando o cargo de presidente do Lok Sabha para a festa.

O BJP DESISTIRÁ DO POST DE ORADOR CRUCIAL?

Após o juramento do primeiro-ministro Narendra Modi e do seu conselho de ministros no domingo, embora a atribuição de pastas a diferentes ministros fosse vista como a próxima grande tarefa, a nomeação do Lok Sabha poderia ser uma tarefa maior e mais difícil para o Modi 3.0.

Embora o primeiro-ministro Modi tenha prestado juramento pelo terceiro mandato consecutivo histórico, a ausência de uma maioria simples (maioria de mais de 50% dos membros) para o partido governante Bharatiya Janata (BJP) em Lok Sabha aparentemente colocou o partido numa situação difícil. ver.

À medida que o Modi 3.0 tomava forma, composto por 16 deputados do Partido Telugu Desam (TDP) e 12 deputados do Janata Dal United (JDU), o BJP pode ter que ceder algum espaço no Lok Sabha uma vez que o TDP já reivindicou o cobiçado assento do Presidente do Lok Sabha.

Isto marca uma mudança potencial na estratégia do BJP na última década. Nos últimos 10 anos, o BJP liderado por Narendra Modi, com maioria própria, nomearia e nomearia o Presidente.

No entanto, com o mandato reduzido, isto pode já não ser viável.

Embora o TDP tenha alegadamente exigido o cargo de orador, o líder do Shiv Sena (UBT), Aaditya Thackeray, sugeriu que o JD(U) também reivindicasse o alto cargo.

A frase “orador jiska, uski sarkar” (cujo orador, seu governo) capta apropriadamente o significado da posição do presidente do Lok Sabha e as reivindicações e seus rumores que circulam.

No entanto, o BJP demonstrou a sua intenção ao manter os ministérios cruciais no conselho da União. Pode até manter o cargo de Presidente da Câmara, pois seria crucial em situações críticas.

PODERES E PRIVILÉGIOS DO ALTO-FALANTE LOK SABHA

O cargo de Presidente da Câmara é visto como um símbolo da força e do controle do partido no poder ou da aliança sobre o processo legislativo na Câmara do Povo, o mais alto órgão legislativo da Índia.

Juntamente com o Presidente, a Constituição prevê também a eleição do Vice-Presidente, que exerce as funções do Presidente na sua ausência.

O presidente do Lok Sabha é o presidente da câmara baixa, que não é apenas cerimonial, mas também exerce influência substancial sobre o funcionamento da Câmara. O Presidente do Lok Sabha é um dos membros da Câmara, eleito por maioria simples.

O partido ou aliança que ocupa o cargo de Presidente pode exercer uma influência considerável sobre a agenda legislativa, o que por sua vez pode ter impacto na implementação das leis e políticas do governo.

COMO O ALTO-FALANTE LOK SABHA GANHA ENORME PODER

Da interpretação das regras da Câmara, à manutenção da ordem, às expulsões de membros, o Presidente do Lok Sabha faz tudo.

O Presidente também preside sessões conjuntas do Lok Sabha e do Rajya Sabha. Ela/Ele adia as reuniões se não houver quórum e dá voto de desempate, se necessário.

O presidente da Câmara determina se um projeto de lei apresentado na Câmara é um projeto de lei de dinheiro ou comum. Isto é crucial porque a aprovação subsequente de um projeto de lei depende de como ele foi listado.

As Comissões da Câmara, que discutem e deliberam sobre uma política antes de ela ser colocada em votação, são constituídas pelo presidente da Câmara. Eles também trabalham sob as diretrizes do orador. É o presidente da Câmara quem nomeia os membros e presidentes das Comissões Parlamentares.

No entanto, o cargo de Lok Sabha Speaker não é tão otimista e autoritário quanto parece.

Um incidente de 2008, quando o Presidente do Lok Sabha e fiel do Partido Comunista da Índia (Marxista), Somnath Chatterjee, teve de perder a sua filiação no partido, pois deu precedência ao seu dever como Presidente do Lok Sabha.

O apartidarismo do cargo de Presidente também foi destacado pelo Supremo Tribunal da Índia, que considerou que o presidente dará precedência às funções do cargo e não ao partido a que pertence.

O que Chatterjee mais tarde lembrou como “um dos dias mais tristes” da sua vida, foi o resultado de ele ter mantido o cobiçado assento, superior ao de sua filiação partidária.

Apesar de ter sido expulso do PC(M), completou o seu mandato como Presidente da Câmara do Povo.

Publicado por:

Sushim Mukul

Publicado em:

11 de junho de 2024



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here